DIMS 2024

“Catástrofes e conflitos à luz da carta de Veneza” é o tema do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios 2024

“Catástrofes e conflitos à luz da carta de Veneza” é o tema do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios 2024

Já é conhecido o tema do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios 2024, que se celebra anualmente no dia 18 de abril. “Catástrofes e conflitos à luz da carta de Veneza” propõe um olhar sobre o passado, como forma de reflexão sobre o património partilhado e os desafios que se colocam hoje e para o futuro.

Em 1982, o ICOMOS estabeleceu o dia 18 de abril como o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios (DIMS), seguido da adoção pela UNESCO, durante a sua 22ª Conferência Geral. Todos os anos, o ICOMOS propõe um tema para atividades a serem organizadas pelos seus membros e parceiros e por todos aqueles que queiram participar nesta comemoração. Em Portugal, o Património Cultural, I.P. é a entidade responsável pela coordenação e divulgação nacional de todas as iniciativas.

Em 2024, o tema escolhido – “Catástrofes e conflitos à luz da carta de Veneza” – deriva do Plano Científico Trienal do ICOMOS, que se centra entre 2024 e 2027 no “Património Resiliente a Catástrofes e Conflitos – Preparação, Resposta e Recuperação”.

No ano em que se celebram os 60 anos da Carta de Veneza (31 de maio), o ICOMOS convida a refletir sobre o património partilhado que emana desta convenção internacional e que papel ainda desempenha na atualidade.

A Carta de Veneza foi adotada em 1964, duas décadas após a Segunda Guerra Mundial, numa época que prometia progresso e desenvolvimento económico ilimitados. Seis décadas depois, o mundo enfrenta uma emergência climática, um número crescente de catástrofes naturais e conflitos, que levam à destruição de locais culturais e à deslocação em massa de populações.

Testemunhos vivos de tradições seculares de um povo, os monumentos históricos são um património comum, que urge salvaguardar para as gerações futuras, com toda a riqueza da sua autenticidade. A Carta de Veneza, apresenta assim os princípios internacionais orientadores da conservação e do restauro dos monumentos, entendendo que “a conservação e restauro de monumentos visa salvaguardar tanto a obra de arte como o testemunho da história” (artigo 3.º).

Neste contexto, o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios constitui uma oportunidade de dar a conhecer este instrumento fundador, que está no centro da história e da identidade do ICOMOS, tão atual como há 60 anos.

O Património Cultural, I.P., em colaboração com o ICOMOS Portugal, convida à celebração em torno desta importante Carta, através da organização de iniciativas que possam constituir momentos de reflexão sobre a evolução das práticas de conservação desde a Carta de Veneza, os seus impactos nas práticas de conservação e a sua relevância para os desafios de uma emergência climática, conflitos e catástrofes naturais.

Em breve será disponibilizada uma plataforma nacional de difusão de todos os eventos que terão lugar em Portugal continental, Açores e Madeira, no âmbito do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios 2024.