Danças Tradicionais da Lousa. Património Cultural Imaterial desde 2014

Danças Tradicionais da Lousa. Património Cultural Imaterial desde 2014

 

Desde 2014 que as Danças Tradicionais da Lousa estão inscritas no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial (INPCI). Trata-se de uma manifestação anual que se realiza no terceiro fim-de-semana de maio, por ocasião da Festa em Honra de Nossa Senhora dos Altos Céus, a padroeira da aldeia da Lousa, no concelho de Castelo Branco.

A Dança das Virgens e a Dança dos Homens, exibidas no domingo após a procissão religiosa, e a Dança das Tesouras, apresentada na 2ª feira seguinte, constituem três coreografias distintas, sendo a das Virgens e a dos Homens, acompanhadas por música.

Na Dança das Virgens participam oito jovens do sexo feminino. No adro da igreja, recitam quadras de evocação à padroeira. Um tocador de guitarra portuguesa acompanha-as. Uma personagem que dá pelo nome de “Guardião”: “empunha uma espada e cuja função consiste, por um lado, em afastar os observadores, garantindo o espaço adequado para a realização da Dança e, por outro, zelando pela “pureza” das Donzelas e pelo ouro que elas transportam.”

A Dança dos Homens é realizada por seis elementos, trajados de branco, com faixa azul à cintura e faixa branca na cabeça, a Capela; na coreografia participam ainda três jovens, as “madamas”, vestidas tal como as Virgens, de branco. Os homens vão tocando viola beiroa, um toca genebres e as madamas tocam trinchos.

Finalmente, a Dança das Tesouras apoiada por vozes, seguindo o ritmo de tenazes de ferro, em representação de tesouras de tosquia, que são afiadas “simbolicamente num grande pau suportado pelo ombro de um elemento fundamental do grupo, o “Mandador”.

A origem destas expressões artísticas está associada à Lenda da Praga dos Gafanhotos que assolou a região por volta de 1640. Os conhecimentos desta prática são transmitidos de geração em geração o que reforça o sentimento identitário da comunidade envolvida nas Danças Tradicionais da Lousa.