Saltar para o conteúdo principal da página
Património Cultural

Museus, Monumentos e Palácios 10/10/2022

Direção-Geral do Património Cultural adquire joias para coleções do Museu do Tesouro Real

A Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) acaba de adquirir duas joias associadas ao rei D. Luís I (1838-1889), num recente leilão da Cabral Moncada, por proposta da direção do Palácio Nacional da Ajuda para integrarem as coleções do Museu do Tesouro Real.

Os objetos adquiridos, num valor total de 15 458,28 euros, são uma charuteira em ouro, safiras e diamantes, alusiva ao batismo do príncipe real D. Luís Filipe (1887-1908), e uma boquilha em ouro filigranado, âmbar, rubis, esmeraldas e diamante, marcada com o monograma “D.L.I.” (D. Luís I).

De acordo com José Alberto Ribeiro, Diretor do Palácio Nacional da Ajuda - Museu do Tesouro Real, «o Palácio Nacional da Ajuda resgata assim mais duas singulares peças que em muito vêm valorizar as excecionais coleções da antiga Casa Real que aqui se conservam, em particular, aquelas que foram reunidas em vida pelos monarcas D. Luís e D. Maria Pia».

Charuteira - em ouro, safiras e diamantes, da casa Leitão & Irmão, alusiva ao batismo do príncipe real D. Luís Filipe (1887-1908), neto do rei D. Luís. Marcada com o monograma coroado “LM” (rei D. Luís e rainha D. Maria Pia), esta charuteira faz parte de uma encomenda, endereçada pelo monarca aos joalheiros da Coroa, que compreendia vários objetos destinados a presentear familiares e dignitários ao serviço da Corte presentes na solene cerimónia de batismo, realizada na capela do paço da Ajuda a 14 de abril de 1887.

Boquilha - em ouro filigranado, âmbar, rubis, esmeraldas e diamante, marcada com o monograma “D.L.I.” (D. Luís I). Terá sido herdada sucessivamente por D. Carlos I (1863-1908) e D. Manuel II (1889-1932) pois encontra-se registada no inventário republicano dos bens da antiga Casa Real, entre os bens pertencentes a D. Manuel II. Foi reclamada como propriedade particular e restituída ao ex-monarca no exílio.