Saltar para o conteúdo principal da página

A Arquitectura Doméstica de Conimbriga e as Estruturas Económicas e Sociais da Cidade Romana

<p>A presente tese é constituída por um estudo global da arquitectura doméstica da cidade romana de Conimbriga (prov. Lusitania), dividido em duas partes. O estudo é precedido por uma contextualização da evidência disponível em três aspectos principais: a história da investigação e o avanço do conhecimento; os contextos concretos da investigação no que diz respeito aos principais problemas da cronologia dos edifícios e da sua documentação, e o quadro global do que é conhecido da arquitectura doméstica no Império Romano. A primeira parte do estudo é constituída por uma análise sistemática dos vinte e sete edifícios domésticos conhecidos, no todo ou em parte, e de uma referência a dois edifícios não considerados no estudo por razões de vária ordem. A cidade propriamente dita está escavada em 15% da sua extensão máxima total. Dos edifícios conhecidos é feita referência à natureza, extensão e origem da informação disponível, são descritas as suas estruturas, apreciada a sua cronologia e arquitectura e são catalogadas as unidades residenciais identificadas. A catalogação das unidades residenciais é o elemento essencial para compreender as articulações internas dos edifícios e é a base indispensável para o suporte de algumas conclusões ulteriores do estudo. A segunda parte do estudo é composta por indagações aprofundadas dos aspectos mais significativos do conjunto estudado, nomeadamente, o aspecto ecológico da actividade edilícia na cidade, os modelos histórico-artísticos e etnográficos das construções e, elemento central de toda a tese, a articulação dos programas arquitectónicos domésticos com a ideologia a eles subjacente (analisada na perspectiva do Wertbegriff). A este elemento é associada uma análise da expressão ideológica dos programas decorativos reconhecidos nos mosaicos das principais residências. A articulação dos elementos reconhecidos em distintos cenários urbanos (na óptica proposta por A. Rapoport) é também desenvolvida. De particular importância neste apartado é, para além da verificação de um padrão muito fino de situações diversas de unidades residenciais recobertos seja pela designação tradicional de domus, seja pela de insula, a identificação de unidades de carácter semi-público, identificáveis como sedes de colégios ou corporações, designáveis de scholae. A estrutura sócio-económica da cidade é abordada através de uma reconstrução do volume demográfico da cidade, da estrutura social dessa população e do valor económico da construção doméstica como forma de expressão dessa estrutura. As conclusões centram-se sobretudo nas propostas de interpretação dos dados analisados como ilustrações de um conceito inovador do processo de “romanização” como um processo de enculturação através do qual as populações locais recentraram a sua posição numa esfera cultural e política (romana) nova através de um processo cognitivo, movido essencialmente pela competição interna por um estatuto social privilegiado expresso pela adesão a uma prática habitacional romana, com fundas consequências nos domínios cultural, social e económico.</p>
<p></p>
<p>ISBN: 978-989-8052-50-6<br /> Centro de Estudos Arqueológicos das Univ. de Coimbra e Porto; DGPC; Liga de Amigos de Conimbriga, 2013</p>

A presente tese é constituída por um estudo global da arquitectura doméstica da cidade romana de Conimbriga (prov. Lusitania), dividido em duas partes. O estudo é precedido por uma contextualização da evidência disponível em três aspectos principais: a história da investigação e o avanço do conhecimento; os contextos concretos da investigação no que diz respeito aos principais problemas da cronologia dos edifícios e da sua documentação, e o quadro global do que é conhecido da arquitectura doméstica no Império Romano. A primeira parte do estudo é constituída por uma análise sistemática dos vinte e sete edifícios domésticos conhecidos, no todo ou em parte, e de uma referência a dois edifícios não considerados no estudo por razões de vária ordem. A cidade propriamente dita está escavada em 15% da sua extensão máxima total. Dos edifícios conhecidos é feita referência à natureza, extensão e origem da informação disponível, são descritas as suas estruturas, apreciada a sua cronologia e arquitectura e são catalogadas as unidades residenciais identificadas. A catalogação das unidades residenciais é o elemento essencial para compreender as articulações internas dos edifícios e é a base indispensável para o suporte de algumas conclusões ulteriores do estudo. A segunda parte do estudo é composta por indagações aprofundadas dos aspectos mais significativos do conjunto estudado, nomeadamente, o aspecto ecológico da actividade edilícia na cidade, os modelos histórico-artísticos e etnográficos das construções e, elemento central de toda a tese, a articulação dos programas arquitectónicos domésticos com a ideologia a eles subjacente (analisada na perspectiva do Wertbegriff). A este elemento é associada uma análise da expressão ideológica dos programas decorativos reconhecidos nos mosaicos das principais residências. A articulação dos elementos reconhecidos em distintos cenários urbanos (na óptica proposta por A. Rapoport) é também desenvolvida. De particular importância neste apartado é, para além da verificação de um padrão muito fino de situações diversas de unidades residenciais recobertos seja pela designação tradicional de domus, seja pela de insula, a identificação de unidades de carácter semi-público, identificáveis como sedes de colégios ou corporações, designáveis de scholae. A estrutura sócio-económica da cidade é abordada através de uma reconstrução do volume demográfico da cidade, da estrutura social dessa população e do valor económico da construção doméstica como forma de expressão dessa estrutura. As conclusões centram-se sobretudo nas propostas de interpretação dos dados analisados como ilustrações de um conceito inovador do processo de “romanização” como um processo de enculturação através do qual as populações locais recentraram a sua posição numa esfera cultural e política (romana) nova através de um processo cognitivo, movido essencialmente pela competição interna por um estatuto social privilegiado expresso pela adesão a uma prática habitacional romana, com fundas consequências nos domínios cultural, social e económico.

ISBN: 978-989-8052-50-6
Centro de Estudos Arqueológicos das Univ. de Coimbra e Porto; DGPC; Liga de Amigos de Conimbriga, 2013

Referência: IPPBLIV13058101

Dimensões:

Peso:

Unitário
Preço
50,00€

Veja também:

Preço Unitário:
12,50€

Ricordo di Venezia

Referência: IPPBLIV15312050

Preço Unitário:
22,50€

Preço Unitário:
7,00€