Saltar para o conteúdo principal da página

(a)Riscar o Património

(a)Riscar o Património

O projecto (a)Riscar o Património é uma iniciativa da Direcção Geral do Património Cultural, que teve início em 2014 com a parceria dos Urban Sketchers Portugal. Consiste em reunir no mesmo dia, mas em sítios diferentes, sketchers, ilustradores, artistas ou simples amantes do desenho, segundo tema sempre enquadrado nas comemorações das Jornadas Europeias do Património (JEPs). O entendimento do desenho enquanto meio de expressão ancestral, privilegiado, versátil e intemporal, permitindo um olhar mais atento e a descoberta de pormenores que a fotografia nem sempre revela abre caminho para outras associações: reunir a representação do património ao desenho – na sua vertente mais imediata e espontânea, enquanto registo do olhar, memória fugaz de um tempo e de um sítio, figuração instantânea duma realidade e dum momento – parecia, assim, quase uma evidência. Através do desenho – ou, concretamente, do “sketching” – é possível uma outra representação do património e uma leitura mais descontraída, longe da carga de monumentalidade e “peso” que a própria palavra acarreta. A associação com os “Urban Sketchers Portugal” - que, seguindo uma tendência que poderemos considerar quase planetária, se desdobram em encontros, workshops, edições e exposições - foi o passo natural para iniciar este projecto: através deles, bebendo um pouco dessa dinâmica, usufruindo da existência de uma comunidade de amantes do desenho já estabelecida mas sempre em crescimento e aproveitando, em simultâneo, as potencialidades e o carácter “desenhável” do património, criou-se uma iniciativa que, em 2016, entra na sua terceira edição. 

(a)Riscar o Património é um projecto aberto, que pretende promover a interacção entre o observador/desenhador e o Património nas suas diferentes facetas; quer pelo olhar e registo gráfico de cada um, quer pela partilha de desenhos e descobertas, conhece-se, dá-se a conhecer, criam-se laços e evolui-se. Os participantes comparecem no local combinado à hora marcada, reúnem-se e desenham: sozinhos ou em grupo, percorrendo (ou não) o itinerário sugerido ou simplesmente descobrindo motivos dentro do tema proposto. Desenhar o que nos rodeia, tendo sempre como baliza a ligação ao tema proposto, possibilita a descoberta e o conhecimento.

A ligação às Jornadas Europeias do Património - um evento que engloba toda a comunidade europeia - cria uma rotina saudável e um calendário que acompanha as comemorações e manifestações culturais que se realizam um pouco por todo o lado. Em 2016 foi abordado o tema “Comunidades e Culturas”, em 2015, o tema “Património Industrial” em que os participantes descobriram e criaram belíssimas representações de fábricas, escolas, moinhos, portos e zonas industriais ou portuárias, com que todos nos cruzamos no nosso quotidiano sem realmente os vermos e apreciarmos.

As edições de 2014 e 2015 tiveram lugar nas cidades de Viana do Castelo, Porto, Coimbra, Montemor-o-Velho, Tomar, Torres Vedras, Lisboa, Castelo Branco, Évora, Funchal e Ponta Delgada, juntando-se este ano as participações do Algarve, em S. Brás de Alportel, Entroncamento, e Angra do Heroísmo, na Ilha Terceira, Açores. Em cada cidade um “anfitrião” previamente seleccionado escolhe um percurso adequado ao tema, acolhe os participantes, divulga, dinamiza localmente, regista e fotografa o encontro. Do conjunto de trabalhos resultantes dos encontros, é feita uma selecção, que constitui a base de uma exposição itinerante, enriquecida todos os anos com os desenhos das edições mais recentes. Esta exposição foi inaugurada em Setembro de 2015, em Lisboa, no Museu Nacional de Arqueologia com assinalável sucesso. Segundo dados deste Museu, terão passado naquele espaço e visitado a exposição cerca de 23500 pessoas. Transitou posteriormente para Coimbra, para o Museu Nacional Machado de Castro, para a Galeria Municipal de Torres Vedras, para a Biblioteca Municipal de Castelo Branco, e para a Galeria da Casa de Burgos, em Évora.

Paralelamente foi criado um blog que dá todas as informações sobre a iniciativa (a)Riscar o Património, sendo actualizado com frequência: https://ariscaropatrimonio.wordpress.com/

A organização deste evento pretende aproveitar a relação privilegiada entre património e desenho, sensibilizar cada vez mais a comunidade para a importância e a diversidade das realidades que nos envolvem, construir um banco de desenhos de registo sobre o nosso Património e promover paralelamente outras actividades como encontros, debates e publicações. O objectivo é chegar a todos os distritos do país, possibilitando uma participação cada vez mais alargada e um conhecimento sempre mais atento do património e do território que nos envolve.

Todos são capazes de riscar, mesmo que pensem que não riscam o suficiente: falta, por vezes, arriscar. Só assim se pode descobrir o mundo através do desenho.