Saltar para o conteúdo principal da página
Património Mundial

Centro Histórico de Goiás

Descrição

A cidade de Goiás, antiga capital do Estado de Goiás, localiza-se na região central brasileira.
Seguindo o roteiro traçado no século XVII pelo padre jesuíta Manuel Correia, primeiro desbravador das terras do Estado de Goiás em missão apostólica, o bandeirante Bartolomeu Bueno da Silva chegou à região. Ali permaneceu o tempo suficiente para se certificar da existência de jazidas de ouro, regressando posteriormente a S. Paulo.
Cerca de quarenta anos depois, foi o seu filho Bartolomeu que, por determinação do governo de S. Paulo, voltou à região acompanhado por cem homens. Fixaram arraial na Barra e em Ouro Fino e, posteriormente, em Ferreiro e Santana. Este último arraial foi elevado à categoria de vila na década de trinta do século XVIII com o nome de Vila Boa de Goiás, em homenagem ao seu fundador, Bueno, e aos primitivos habitantes, os índios guaiases ou goiás.

Na cidade de Goiás a arquitectura civil, diferente da religiosa, apresenta-se simples quer no que respeita aos materiais construtivos, quer no que respeita às linhas arquitectónicas.
A arquitectura religiosa concentra um maior dispêndio em materiais nobres, obras de arte e elementos decorativos.
Entre os principais monumentos que compõem o centro histórico de Goiás, destacam-se o chafariz, a Igreja da Boa Morte, o antigo Palácio dos Governadores e o Solar dos Rodrigo Moraes Jardim.
O largo do chafariz, concebido em praça, data do século XVIII e conserva ainda hoje o calçamento primitivo.
A Igreja de Nossa Senhora da Boa Morte, iniciada em 1797 e concluída em 1826, foi inicialmente capela militar de Santo António, passando depois a Confraria dos Homens Pardos. Quando desabou a Igreja de Sant’Ana, substituiu-a na categoria de Igreja Matriz, e é actualmente sede do Museu de Arte Sacra da cidade de Goiás.
O antigo Palácio dos Governadores foi construído durante o governo de Álvares Xavier Botelho, Conde de S. Miguel, e serviu como residência para governadores e palácio de despachos até 1937, data em que a capital de Estado foi transferida para Goiânia.
O Solar dos Rodrigo Moraes Jardim, que pertenceu a José Rodrigues Jardim, presidente da província de Goiás de 1831 a 1837, foi construído nos finais do século XVIII em terra batida. Reflectindo a influência portuguesa, a casa é rematada por telhado com beiral.

Outras ligações:
UNESCO - Historic Centre of the Town of Goiás

Bibliografia

Chaim, Marivone Matos, Sociedade Colonial (Goiás – 1749-1822), 2ª ed., Goiânia, Secretaria de Cultura, 1987.

Guia dos Bens Tombados. Brasil, Coordenação de Maria Elisa Carrazzoni, Rio de Janeiro, Expressão e Cultura com o Apoio Cultural da Caixa Econômica Federal, 1987.

Silva, Colemar Natal e, História de Goiás, 3ª ed., Goiânia, Agência Goiana de Cultura Pedro Ludovico Teixeira, Instituto Goiano do Livro, 2002.