Saltar para o conteúdo principal da página

Bairro da Cooperativa "O Lar Familiar" - detalhe

Designação

Designação

Bairro da Cooperativa "O Lar Familiar"

Outras Designações / Pesquisas

-

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Porto / Lordelo do Ouro e Massarelos

Endereço / Local

Rua à Rua de Carlos Dubini / Largo do Maestro Miguel Ângelo
Porto

Proteção

Situação Actual

Procedimento encerrado / arquivado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Despacho de 15-05-2012 do diretor-geral da DGPC a indeferir a reabertura do procedimento de classificação e a determinar que se reafirme junta da CM do Porto a importância da sua classificação como conjunto de interesse municipal (CIM)
Parecer desfavorável de 9-05-2012 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Informação desfavorável de 30-03-2012 da DRCNorte, por considerar que não tem valor nacional e que a proteção do património também são competência das autarquias
Nova proposta de reabertura de 5-03-2012
Proposta de reabertura de 27-06-2011
Enviado ofício em 26-10-2008 à CM do Porto a dar conhecimento do despacho de revogação e a propor a classificação como de IM
Despacho de revogação de 23-09-2008 da Subdirectora do IGESPAR, I.P.
Proposta de 27-05-2008 da DRCNorte para revogação do despacho de abertura, por não ter valor nacional
Despacho n.º 85/GP/05 de 29-09-2005 do presidente do IPPAR a determinar a abertura do processo de classificação

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Edificado em 1950 pelo arquitecto Mário Bonito, a Cooperativa Lar Familiar inscreve-se no projecto de requalificação habitacional da cidade do Porto, intentado durante a vigência do Estado Novo.
Trata-se de um conjunto de blocos de habitações unifamiliares de dois pisos, organizados geométrica e racionalmente em torno de uma praça rectangular comum. As fachadas, assumindo um vinco monumentalizante, devido à inclinação da cobertura no sentido do interior dos imóveis, são marcadas pela abertura de uma porta e janela no piso térreo, a que corresponde uma varanda no piso superior, fechado por parede cega até à cobertura. O ritmo horizontal do conjunto é cortado pela separação das habitações através de pano murário que forma um triângulo, o que confere uma dinâmica muito própria ao alçado comum.
Cada um dos blocos obedece à malha descrita, embora as dimensões dos vãos e dos acessos aos pátios ajardinados que se encontram no interior, possam variar de acordo com a localização.
Rosário Carvalho
Sandra Vaz Costa

Imagens

Bibliografia

Título

Guia da Arquitectura Moderna. Porto. 1925-2002.

Local

Porto

Data

2003

Autor(es)

FERNANDES, Fátima, CANNATÁ, Michele