Saltar para o conteúdo principal da página

Escola Secundária Rodrigues de Freitas (Antigo Liceu D. Manuel II) - detalhe

Designação

Designação

Escola Secundária Rodrigues de Freitas (Antigo Liceu D. Manuel II)

Outras Designações / Pesquisas

Liceu Rodrigues de Freitas / Liceu D. Manuel II / Escola Secundária Rodrigues de Freitas(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Porto / Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória

Endereço / Local

- -
Porto

Proteção

Situação Actual

Procedimento caducado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Procedimento caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma)
Despacho n.º 67/GP/05 de 21-07-2005 do presidente do IPPAR

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A designação actual da Escola Secundária Rodrigues de Freitas substitui a do anterior Liceu D. Manuel II (que herdou o arquivo do antigo Liceu Central do Porto), cuja denominação teve origem em sessão do Conselho Escolar de 27 de Junho de1908, num momento específico de expansão da rede escolar secundário-liceal portuense, até ao momento em que, em 1910, o advento republicano imprimiu o nome do destacado político Rodrigues de Freitas como seu patrono, prevalecente até 1947, ano em que o Liceu retomou a designação anterior (NÓVOA, A., SANTA-CLARA, A. T., 2003, pp. 660-661), espelhando, no fundo, os diversos momentos de reforma do ensino enunciados por diferentes gabinetes ministeriais e regimes ao longo de mais de um século e meio de existência.
Na verdade, o Liceu esteve instalado em prédios arrendados ou cedidos, até 1932, ainda que, já em 1818, se ponderasse a possibilidade de mandar erguer um edifício especialmente concebido para o efeito, conhecendo-se, então, um longo período de apreciação do risco então apresentado, e de avaliação dos possíveis terrenos para sua construção, finalmente concretizada junto à Igreja de Cedofeita, entre 1927 e 1932, sito na Praça de Pedro Nunes.
Traçado pelo conhecido arquitecto José Marques da Silva (1869-1947), que viveu em Paris, entre 1889 e 1896, depois de ter cursado na Academia de Belas-artes do Porto, e antes de ter obtido vários prémios de reconhecimento internacional, designadamente no âmbito das Exposições Universais de Paris (1900) e do Rio de Janeiro (1908), o projecto foi concluído quando ainda assumia as funções de director da Escola de Belas-artes do Porto, acrescentando, deste modo, uma indiscutível maior valia à proposta então executada.
Herdeira de uma longa e fecunda tradição pedagógica desenvolvida e implementada na cidade do Porto desde meados do século XIX, onde leccionaram individualidades de referência do panorama cultural da cidade - dentre os quais os destacados historiador da Arte Joaquim de Vasconcellos (1849-1936) e o antropólogo e arqueólogo António Augusto Esteves Mendes Corrêa (1888-?) -, formando gerações sucessivas de novos intelectuais (mas não só), a "Escola Secundária Rodrigues de Freitas" notabiliza-se de igual modo pelo edifício que a alberga desde os primeiros anos da década de trinta do século passado (vide supra), constituindo, na verdade, a principal linha de força da proposta de classificação, sobretudo por se tratar de uma obra de referência desse expoente da arquitectura portuense da primeira metade da centúria que foi, sem dúvida, J. Marques da Silva (vide supra).
Trata-se, na verdade, de um nome indissociável da História da cidade do Porto deste período cronológico, revelando-se um dos exemplos maiores do panorama artístico da urbe, assim como da vitalidade dos círculos académicos da área, então ainda sob forte influência francesa (bem patente, por exemplo, nos enormes janelões rasgados nos alçados principais), características bem presentes noutras três obras da sua lavra: o Teatro Nacional S. João, a Estação de S. Bento e a própria Casa de Serralves.
[AMartins]

Imagens

Bibliografia

Título

Arquitectura Moderna Portuguesa 1920-1970. Um Património a Conhecer e Salvaguardar

Local

-

Data

-

Autor(es)

-

Título

Liceus de Portugal. Histórias. Arquivos. Memórias.

Local

Porto

Data

2003

Autor(es)

NÓVOA, António, SANTA-CLARA, Ana Teresa

Título

Escola Secundária Rodrigues de Freitas, Liceus de Portugal. Histórias. Arquivos. Memórias.

Local

Porto

Data

2003

Autor(es)

CORREIA, Luís Grosso

Título

A minha «Estrada de Santiago» nos campos da Etnografia: do Liceu Central do Porto ao Museu Etnológico de Lisboa, O Tripeiro

Local

Porto

Data

1970

Autor(es)

CHAVES, Luís

Título

O Liceu Nacional Central do Porto. Palavras Prévias, O Tripeiro

Local

Porto

Data

2003

Autor(es)

LIMA, Augusto César Pires de

Título

O Liceu do Porto há meio século, O Tripeiro

Local

Porto

Data

1946

Autor(es)

CORREIA, António Augusto Mendes

Título

O velho Liceu de Rodrigues de Freitas, O Tripeiro

Local

Porto

Data

1988

Autor(es)

BESSA, Carlos

Título

Acerca do velho liceu do Porto, O Tripeiro

Local

Porto

Data

1947

Autor(es)

MATOS, Júlio de Melo e

Título

Casas por onde peregrinou o Liceu do Porto até possuir edifícios próprios, O Tripeiro

Local

Porto

Data

1953

Autor(es)

-