Saltar para o conteúdo principal da página

Barragem Romana de Tinhela de Baixo - Sul - detalhe

Designação

Designação

Barragem Romana de Tinhela de Baixo - Sul

Outras Designações / Pesquisas

Vale das Veias / Barragem Romana de Tinhela de Baixo - Sul / Vale das Veias(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Vila Real / Vila Pouca de Aguiar / Bornes de Aguiar

Endereço / Local

- entre Tinhela de Baixo e Filhagosa, a cerca de 500 m a sul de Tinhela de Baixo
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 659/2012, DR, 2.ª série, n.º 215, de 7-11-2012 (ver Portaria)
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Anúncio n.º 14162/2011, DR, 2.ª série, n.º 192, de 6-10-2011 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 30-03-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Proposta de 14-10-2010 da DRC do Norte para a classificação como MIP
Despacho de abertura de 9-05-2006 da vice-presidente do IPPAR
Parecer favorável de 2-05-2006 do IPA
Proposta de abertura de 7-11-2005 da DR do Porto

ZEP

Portaria n.º 659/2012, DR, 2.ª série, n.º 215, de 7-11-2012 (sem restrições) (ver Portaria)
Anúncio n.º 14162/2011, DR, 2.ª série, n.º 192, de 6-10-2011 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 30-03-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Proposta de 14-10-2010 da DRC do Norte

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Numa região dotada de uma beleza inequívoca, ao mesmo tempo que dos recursos essenciais à sobrevivência e fixação de diferentes comunidades humanas ao longo dos tempos, o território correspondente, na actualidade, ao concelho de Vila Pouca de Aguiar encerra múltiplos testemunhos de uma profícua actividade económica ao tempo dos romanos.
É o caso, entre outros, da "Barragem Romana de Tinhela de Baixo - Sul", situada na freguesia de Bornes de Aguiar, zona afamada pela excelência das águas termais (Pedras Salgadas) que de modo tão evidente tem marcado a sua economia, sobretudo a partir de finais do século XIX, inícios do XX.
Também conhecida por 'Vale das Veias', a barragem em epígrafe constitui a maior das duas (apartadas entre si por cerca de um quilómetro) que formam todo o sistema de armazenamento e condução, a partir do Rio Tinhela e através do 'Túnel do Pedroso', de água para abastecimento das 'Minas romanas de Tresminas', situadas nas imediações de Bornes de Aguiar, marcando fortemente a paisagem, especialmente no que se refere à margem direita, ostentando um máximo de 30 metros de altura e de espessura, assim como um comprimento de aproximadamente 300 metros, curvando para montante.
Trata-se, na verdade, de uma notável planificação construtiva atendendo ao propósito último, articulando diferentes tipologias arquitectónicas com vista, neste caso específico, à laboração das minas, tão relevantes para a afirmação e desenvolvimento imperial, com a particularidade de constituir um dos melhores exemplos de empresas estatais romanas em solo português. Na realidade, "A única indústria em que o Estado parece ter tomado a iniciativa, tornando-se proprietário e gestor, através de funcionários que recebiam o nome de procuratores, foi a extracção de minérios." (ALARCÃO, J. M. N. L., 1990, p. 413).
[AMartins]

Imagens

Bibliografia

Título

A produção e a circulação dos produtos, Nova História de Portugal

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

ALARCÃO, Jorge Manuel N. L.

Título

Guia de Portugal, Trás-os-Montes e Alto Douro, I - Vila Real, Chaves e Barroso

Local

Lisboa

Data

-

Autor(es)

-