Saltar para o conteúdo principal da página

Estádio Municipal de Braga - detalhe

Designação

Designação

Estádio Municipal de Braga

Outras Designações / Pesquisas

Estádio Municipal de Braga (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Braga / Real, Dume e Semelhe

Endereço / Local

Parque Urbano de Braga
Braga

Proteção

Situação Actual

Procedimento caducado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Procedimento caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma) , alterado pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de abertura de 27-01-2005 do presidente do IPPAR

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O novo "Estádio Municipal de Braga" foi concebido no âmbito dos novos equipamentos desportivos projectados para receber o "Euro 2004", acontecimento futebolístico de grande envergadura europeia, mas também mundial, atendendo ao interesse que o campeonato sempre merece junto de adeptos de todas as nações..
Rapidamente convertido num ex-libri deste torneio europeu, o estádio distingue-se dos demais, em primeiro lugar, pelo local escolhido para a sua construção. Com efeito, ele surge praticamente embebido numa pedreira da encosta do Monte Castro, voltado para o vale do Rio Cávado, envolvido por uma magnífica paisagem natural, com a qual se harmoniza, sendo, por isso, conhecido como a "Pedreira".
O plano foi, então, entregue a um dos arquitectos portugueses de maior renome internacional, o portuense Eduardo Souto Moura (1952-?), que concebeu um edifício pensado de modo quase orgânico para a paisagem envolvente, aproveitando as condições naturais preexistentes, celebrando-as em simultâneo.
Com capacidade para 30.154 lugares sentados, o novo estádio municipal assume-se também como notável obra de engenharia, valorizando a cidade e a região, no seu todo e, em especial, o novo Parque Urbano de Braga/Norte em que se insere - e, mais propriamente, no Parque Desportivo de Dume -, contribuindo, assim, para o seu reordenamento.
De linhas inovadoras, arrojadas e, também por isso, inéditas, o estádio, com um altura máxima de quarenta metros, ostenta apenas duas bancadas laterais, sendo os topos preenchidos com o anfiteatro natural da própria encosta do monte em que se encontra. E apesar do plano inicial ter contemplado uma cobertura inspirada no risco de Álvaro Siza Vieira para o "Pavilhão de Portugal", em Lisboa, com a edificação de uma longa e contínua pala, optou-se por outra que protegesse as bancadas e iluminasse o relvado com luz natural. Particularidades que mereceram a E. Souto Moura a atribuição do reputado Prémio Secil Arquitectura 2004.
[AMartins]

Imagens