Saltar para o conteúdo principal da página

Ponte de Carenque de Baixo (Ponte Filipina) - detalhe

Designação

Designação

Ponte de Carenque de Baixo (Ponte Filipina)

Outras Designações / Pesquisas

Ponte Filipina de Carenque de Baixo / Ponte Velha / Ponte do Catita / Ponte do Lido / Ponte Filipina de Carenque de Baixo / Ponte Velha / Ponte do Lido(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Amadora / Venteira

Endereço / Local

Estrada Velha de Queluz
Carenque de Baixo

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

Aviso de 17-04-2006 da CM da Amadora publicado no Boletim Municipal de 17-04-2006
Deliberação de 30-06-2005 da AM da Amadora a aprovar a classificação como de IM
Deliberação de 4-04-2005 da CM da Amadora a aprovar a classificação como de IM
Em 11-11-2004 foi dado conhecimento do despacho à CM da Amadora
Despacho de concordância de 29-10-2004 do presidente do IPPAR
Informação favorável de 15-10-2004 da DR de Lisboa, por não ter valor nacional
Pedido de parecer de 21-05-2004 da CM da Amadora sobre a classificação como de IM
Deliberação de 2-05-2002 da CM da Amadora a proceder à classificação como de IM

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
A Ponte de Carenque de Baixo localiza-se na fronteira dos concelhos da Amadora e Sintra, sobre a ribeira de Carenque, outrora ribeira das Quintelas, entre as cidades da Amadora e Queluz, num território caracterizado por uma urbanização densa, em grande parte desordenada. Funcionando hoje apenas como passagem pedonal, a ponte de Carenque foi até há recentemente pouco tempo um local de passagem de milhares de viaturas. Construída em 1631, durante o período filipino, representou uma ligação fundamental no contexto das estradas que circundavam Lisboa, integrando o percurso da Estrada Real que ligava a capital a Sintra, situando-se muito próximo da Quinta do Palácio de Queluz. Na época da sua construção e até sensivelmente aos finais do século XIX, encontrava-se inserida numa região essencialmente agrícola, de povoamento escasso mas com importantes quintas e casas apalaçadas. Refira-se que, mais a montante da ribeira, existiu uma outra ponte - Ponte de Carenque de Cima -, visível ainda na cartografia do século XIX, mas entretanto desaparecida.
Construtivamente é uma obra de proporções medianas, com 12 metros de comprimento por 6 metros de largura, composta por dois arcos de volta perfeita desiguais entre si em silharia de pedra bem aparelhada e sem reboco, que sustentam um tabuleiro de cavalete pouco pronunciado. Observa-se, também, que o aparelho dos paramentos é muito irregular contrastando assim com o dos arcos. Relativamente às guardas, verifica-se que a do lado jusante foi aproveitada para muro de antiga quinta mantendo-se a guarda a montante. Sobre esta, coincidindo com o centro do arco maior, subsiste a base retangular de uma desaparecida cruz, cuja moldura enquadra uma inscrição alusiva à data de construção e ao patrocínio da obra: "ESTA PONTE MANDOU FAZER O SENADO DE LISBOA A CUSTA DO REAL DO POVO, 1631".
Entre os dois arcos, sobre pilar principal existe ainda um talha-mar piramidal de pequenas proporções que ajudava a proteger a estrutura em épocas de maior correnteza.

História
Construída em 1631 por ordem do Senado de Lisboa com as verbas resultantes do imposto conhecido como "Real do Povo" que incidia sobre produtos essenciais, manteve-se em funcionamento até 2014. Após uma séria ameaça de ruína a autarquia procedeu à sua reabilitação, encontrando-se hoje integrada numa zona pedonal.
Paulo Almeida Fernandes/IPPAR/2006. Atualizada por Maria Ramalho/DGPC/2016.

Imagens

Bibliografia

Título

Património Classificado. Município da Amadora

Local

Amadora

Data

2009

Autor(es)

XAVIER, Gabriela, ENCARNAÇÃO, Gisela

Título

Páginas de História da Amadora. Colectânea de artigos

Local

Amadora

Data

1987

Autor(es)

CALLIXTO, Vasco