Saltar para o conteúdo principal da página

Quinta da Caneira - detalhe

Designação

Designação

Quinta da Caneira

Outras Designações / Pesquisas

Casa da Quinta da Caneira (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

-

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Aveiro / Murtosa / Murtosa

Endereço / Local

Rua Vasco da Gama
Murtosa

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

DR, 3.ª Série, n.º 170. de 25-07-2002
Edital de 1-07-2002 da CM de Murtosa, publicado no jornal Diário de Aveiro n.º 5206, de 5-07-2002

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Edificada numa zona rural junto à Ria de Aveiro, na Murtosa, a Quinta da Caneira foi fundada no século XVII, abrangendo um conjunto de várias edificações construídas ao longo das duas centúrias seguintes, integrando a casa principal, de planimetria em U, a capela, e o edifício da adega, que servia também de armazém.
A casa principal seria, na construção primitiva, um retângulo de dimensão reduzida e de dois pisos, a que se acrescentaram dois corpos laterais. Numa segunda fase, foram construídos os volumes que formam um U e, num período mais recente, este U foi fechado. O corpo central é elevado em relação aos laterais e, na fachada principal, uma varanda destaca-se dos restantes vãos de linhas retas. Sobre a porta principal da casa foi colocado o brasão de José Velloso da Cruz, que a partir de 1863 patrocinou obras na casa, durante as quais se terão também feito as esculturas em terracota, de motivos marinhos, que se encontram sobre a cornija do edifício.
A capela, dedicada a Santa Teresa e construída nos finais do século XIX por António Velloso da Cruz, apresenta planta retangular com fachada principal ladeada por pilastras-cunhais e rasgada ao centro por portal de verga reta encimado por janelão. O frontispício é rematado por frontão triangular, onde foi colocado no tímpano o brasão dos Velloso. No interior, o espaço de nave única apresenta tribuna, um arco triunfal pintado e altar com retábulo de talha. A proximidade deste templo familiar com a via pública possibilitava a sua utilização por parte da população.
O edifício do armazém, que serve também de adega, apresenta planta retangular, erguendo-se junto à capela.
História
A Quinta da Caneira foi a propriedade agrícola mais extensa do concelho de Murtosa. As suas terras pertenciam inicialmente aos bens foreiros do Convento de São Bento de Avé-Maria, no Porto, mas no século XVII surgem como primeiros proprietários da quinta Manuel Henriques de Morais e sua mulher, Joana de Oliveira, cuja família se manteve na posse da propriedade até meados do século XIX (Cunha: 1965).
Dos Henriques a Quinta da Caneira passou, por título oneroso, para a família Velloso Cruz, de Vila Nova de Gaia. Foram estes proprietários que patrocinaram diversas obras de beneficiação na propriedade, e por isso o seu brasão familiar surge em diversos edifícios da Caneira.
Mantendo-se propriedade privada, a Quinta da Caneira foi classificada como de interesse municipal em 2002
Catarina Oliveira
DGPC, 2016
(com a colaboração de Aurélio Oliveira, CM Murtosa)

Imagens

Bibliografia

Título

Inventario Artistico de Portugal - Cidade de Coimbra.

Local

Lisboa

Data

1947

Autor(es)

GONCALVES, António Nogueira, CORREIA, Vergílio

Título

Resumo Histórico e caracterização da Quinta da Caneira, Processo de Classificação, IPPAR/DRC

Local

Murtosa

Data

2002

Autor(es)

RICCA, Augusto Mariano Van-Zeller de Carvalho, CAMPOS, Paulo Manuel Martins

Título

Notas marinhoas: notícias históricas da Murtosa e das freguesias marinhoas do concelho de Estarreja

Local

Albergaria-a-Velha

Data

1972

Autor(es)

CUNHA, José Tavares Afonso e