Saltar para o conteúdo principal da página

Palácio dos Condes de Aveiras, também denominado «Solar dos Condes de Povolide» ou «Palácio da Quinta da Cerca» - detalhe

Designação

Designação

Palácio dos Condes de Aveiras, também denominado «Solar dos Condes de Povolide» ou «Palácio da Quinta da Cerca»

Outras Designações / Pesquisas

Palácio dos Condes de Aveiras / Casa de Quinta da Cerca / Solar dos Condes de Povolide(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Palácio

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Azambuja / Aveiras de Baixo

Endereço / Local

Rua 25 de Abril
Aveiras de Baixo

Número de Polícia: 33

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 67/97, DR, I Série-B, n.º 301, de 31-12-1997 (ver Decreto)
Edital N.º 40/96 de 2-05-1996 da CM de Azambuja
Despacho de 24-01-1996 do Ministro da Cultura a autorizar a classificação como IIP
Despacho de abertura de 20-10-1994 do presidente do IPPAR
Parecer de 9-08-1994 da 1.ª Secção do Conselho Consultivo do IPPAR a propor a abertura da instrução de processo de classificação e a posterior classificação como IIP
Em 17-08-1992 a proprietária enviou documentação relativa ao imóvel
Em 6-08-1986 foi solicitado à CM de Azambuja o envio de documentação para instrução de um processo de classificação
Processo iniciado em 1983 no IPPC

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Palácio do século XVIII, albergou os condes de Aveiras, senhores da vila durante a Idade Moderna, e ainda hoje pertence aos seus descendentes. O actual conjunto é o resultado da reforma barroca verificada em Setencentos, de uma anterior construção que se supõe possa ser de origem quinhentista.
Trata-se de um palácio organizado em alas a partir de um pátio central onde se concentravam as tarefas domésticas. O acesso faz-se por portão axial de arco abatido, sobrepujado por frontão irregular integralmente composto pelo brasão da família proprietária. Em redor do pátio desenvolvem-se os edifícios residencial e de apoio às actividades agrícolas. Àquele acede-se por escadaria que conduz ao piso térreo, onde uma porta de lintel recto permite o ingresso no interior. Do lado esquerdo, um outro corpo corresponde à capela privada do palácio, com acesso por portal deslocado para uma das extremidades do alçado (devido à implantação da escadaria da ala habitacional). Do lado oposto, o pátio é aberto por arcarias de arco abatido, de apoio coberto às actividades agrícolas.
PAF

Bibliografia

Título

A freguesia de S. Cristóvão

Local

Lisboa

Data

1944

Autor(es)

ANDRADE, Ferreira de