Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Galegos - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Galegos

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Galegos(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Vila Real / Vila Real / Constantim e Vale de Nogueiras

Endereço / Local

Largo do Pelourinho
Galegos

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A honra de Galegos recebeu forais de D. Dinis, no início do século XIV, e de D. Manuel, em 1519, tendo chegado a ser concelho. O seu pelourinho, vestígio desta posição jurisdicional privilegiada e da importância da localidade durante séculos, ergue-se diante dos antigos Paços do Concelho, reconvertidos para outras funções quando Galegos viu a sua autonomia absorvida pela jurisdição de Vila Real. O monumento hoje existente é, portanto, um relevante testemunho histórico, tratando-se no entanto de uma construção de reduzido interesse artístico. É constituído por um soco elevado, sem degraus, formado pelo aparelhamento rústico de grandes silhares de granito, sobre o qual assenta uma pedra circular onde encaixa o fuste. Este não é mais do que um tosco paralelepípedo monolítico, no topo do qual se destaca, ao modo de remate, uma almofada cúbica relevada, com entalhes em X como única decoração, simulando um singelo coxim; o conjunto lembra, na melhor hipótese, um padrão de caminho. Desconhecida a data da sua construção, até pelo carácter anódino da arquitectura, poder-se-à apontar qualquer data a partir da doação do foral novo de D. Manuel, embora possa ser consideravelmente tardio. SML

Imagens