Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho da Guarda - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho da Guarda

Outras Designações / Pesquisas

Cruzeiro da Guarda / Pelourinho da Guarda / Cruzeiro da Guarda(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Guarda / Guarda / Guarda

Endereço / Local

Largo João de Almeida
Guarda

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O pelourinho da Guarda, de factura quinhentista, ficava localizado na Praça Velha do Mercado, junto dos antigos Paços do Concelho, celebrando certamente o foral manuelino outorgado à cidade em 1510. Embora não se conheça com certeza a sua feição primitiva, é provável que o monumento fosse constituído pelo fuste que ainda hoje o integra, de secção octogonal e apresentando sinais dos orifícios para os braços de ferro, e fosse rematado com uma esfera armilar actualmente recolhida no Arquivo Distrital da Guarda. Desconhece-se o seu paradeiro a partir do século XIX, pelo que terá sido apeado e desmontado; nesta operação perdeu-se o conjunto do remate, à excepção, como se supõe, da esfera, um dos mais tradicionais elementos dos pelourinhos manuelinos. Existem, no entanto, desenhos realizados em 1957, no antigo Matadouro Municipal, onde até finais da década de 1970 estiveram recolhidos alguns fragmentos do monumento, que permitirão eventualmente a sua reconstituição.
Foi já no século XX que se forjou a composição do moderno pelourinho, passando este a integrar a cruz proveniente do cruzeiro do Senhor Jesus do Bonfim. No fuste foi incisa uma inscrição de teor religioso, datada de 1972, mais adequada à função de cruzeiro do que à natureza civil dos pelourinhos. Este mesmo fuste ergue-se sobre um soco formado por três plataformas quadrangulares formando degraus, e suporta um capitel com decoração vegetalista servindo de base ao crucifixo, onde figura a imagem de Cristo. SML

Imagens

Bibliografia

Título

Os restos do pelourinho da Guarda eram património do Estado, Terras da Beira, 24/2/2000

Local

-

Data

2000

Autor(es)

RODRIGUES, Adriano Vasco

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde