Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja de Nossa Senhora dos Mártires - detalhe

Designação

Designação

Igreja de Nossa Senhora dos Mártires

Outras Designações / Pesquisas

Igreja Paroquial dos Mártires / Igreja de Nossa Senhora dos Mártires(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Lisboa / Santa Maria Maior

Endereço / Local

Rua Serpa Pinto
Lisboa

Rua Anchieta
Lisboa

Rua Garrett
Lisboa

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 735/74, DG, I Série, n.º 297, de 21-12-1974 (ver Decreto)
Em 3-05-1972 a CM de Lisboa informou ter afixado e publicado o respectivo edital
Despacho de homologação de 27-01-1972 do Subsecretário de Estado da Administração Escolar
Proposta de 7-01-1971 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE para a classificação como IIP

ZEP

Despacho de 18-10-2011 do diretor do IGESPAR, I.P. a concordar com o parecer e a devolver o processo à DRC de Lisboa e Vale do Tejo para apresentar propostas de ZEP individuais, ou conjuntas nos casos em que tal se justifique
Parecer de 10-10-2011 da SPA do Conselho Nacional de Cultura a propor o arquivamento
Proposta de 22-08-2006 da DR de Lisboa para a ZEP conjunta do Castelo de São Jorge e restos das cercas de Lisboa, Baixa Pombalina e imóveis classificados na sua área envolvente

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Fundada em memória dos "Mártires" que sucumbiram na batalha pela conquista de Lisboa em 1147, a actual igreja de Nossa Senhora dos Mártires é o resultado de sucessivas campanhas de obras que lhe alteraram a feição inicial, ao mesmo tempo que lhe concederam toda uma ambiência barroca e neoclássica, tornada mais evidente após a remodelação integral à qual foi sujeita no período pós-terramoto. Na verdade, foi precisamente nesta altura que se depositaram no seu interior os restos mortais do Infante Santo, trasladados de Marrocos em 1472.
Entretanto, a reconstrução do edifício iniciou-se em 1768, pela mão do arquitecto Reinaldo Manuel dos Santos, ficando as obras concluídas seis anos mais tarde. O interior do templo foi decorado durante esta mesma campanha e, apesar dos vários artistas envolvidos, apresenta uma coerência característica da noção de "obra total barroca". Apresentando planta longitudinal composta por nave única, com quatro capelas em cada um dos lados, inscritas em arcos plenos; cobertura em madeira em forma de berço com lunetas, e capela-mor de igual planta rectangular, o corpo central da fachada principal - avançado em relação aos laterais -, apresenta-se dividido em dois corpos separados por cornija saliente. No topo, a rematar a fachada, encontra-se um frontão triangular com um óculo de iluminação, para além de uma torre sineira na parte posterior, rasgada nas quatro faces, pinaculada nos cantos superiores e coroada por um coruchéu. De entre as obras mais importantes, salienta-se o programa ornamental de Inácio de Oliveira Bernardes, ou a pintura do tecto, devida a Pedro Alexandrino de Carvalho.
PAF

Imagens

Bibliografia

Título

A arte organística em Portugal (vol. I e II)

Local

Braga

Data

1990

Autor(es)

VALENÇA, Pe. Manuel

Título

Inventário de Lisboa

Local

-

Data

1950

Autor(es)

ARAÚJO, Norberto de

Título

A Reconstrução de Lisboa e a Arquitectura Pombalina

Local

Lisboa

Data

1989

Autor(es)

FRANÇA, José-Augusto

Título

A Talha em Portugal

Local

Lisboa

Data

1962

Autor(es)

SMITH, Robert C.

Título

Presépios Portugueses Monumentais do século XVIII em Terracota

Local

Universidade Nova de Lisboa

Data

1998

Autor(es)

PAIS, Alexandre Manuel Nobre da Silva

Título

Monumentos e edifícios notáveis do distrito de Lisboa, vol. V (2º tomo)

Local

Lisboa

Data

1975

Autor(es)

ALMEIDA, D. Fernando de