Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Aguada de Cima - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Aguada de Cima

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Aguada de Cima (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Aveiro / Águeda / Aguada de Cima

Endereço / Local

- no Museu de Aveiro (Av. Santa Joana Princesa)
Aveiro

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A mais antiga referência a Aguada de Cima data ainda de 1064, quando a povoação é referida entre os bens do Mosteiro da Vacariça, ao qual pertenceu até ser doada ao Bispado de Coimbra, vindo a integrar o padroado da Universidade desta cidade. Chegou a ser sede de concelho, com foral dado por D. Manuel em 1514. O seu pelourinho, de aparente factura quinhentista, esteve numa praça central da localidade até data incerta. Está presentemente desmantelado, com peças recolhidas por várias entidades: a parte superior do fuste e o capitel encontram-se no Museu de Aveiro e a base está guardada na Junta de Freguesia local, restando ainda alguns fragmentos, ao que parece na posse de particulares.
As peças existentes no Museu de Aveiro constam de cinco fragmentos pequenos, o topo de um fuste octogonal, e um capitel cúbico armoriado, tudo em calcário. A porção conservada do fuste inclui, na sua metade inferior, uma escultura em relevo bastante danificada, que tem sido identificada com a deusa da sabedoria (Minerva), numa alusão à Universidade, donatária da vila. A figura está rodeada de inscrições, e encimada por uma data, estando o conjunto ainda por ler. As faces do capitel são molduradas, figurando o escudo de armas de Portugal na face frontal, a eixo com os elementos acima descritos, inserido numa segunda moldura em cartela. Com pormenor original, refira-se que em vez de cinco escudetes o escudo apresenta cinco quadrados. Ao contrário do que é geralmente indicado, este escudo não é coroado. As faces laterais do capitel possuem duas esferas armilares, aparente referência à heráldica tradicional do período manuelino, como emblemas pessoais de D. Manuel.
Este pelourinho é do mesmo género do pelourinho de Serem de Baixo, ainda em Águeda, que esteve desaparecido até há poucos anos, e do qual apenas se conhecia uma gravura. Num e noutro caso, o capitel / remate é constituído por um simples bloco prismático armoriado. SML

Imagens

Bibliografia

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde