Saltar para o conteúdo principal da página

Paço de São Cipriano - detalhe

Designação

Designação

Paço de São Cipriano

Outras Designações / Pesquisas

Jardim da Quinta do Paço de São Cipriano (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt) / Paço de São Cipriano (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Paço

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Guimarães / Tabuadelo e São Faustino

Endereço / Local

Lugar da Igreja
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A primeira menção ao Paço de São Cipriano data de 1415, sendo a casa parte integrante da Honra de São Cibrão de Tabuadelo. O Paço proporcionava abrigo aos inúmeros peregrinos que cruzavam a região, a caminho de Santiago de Compostela, e que acorriam a Santa Maria da Oliveira de Guimarães, onde a devoção mariana se contava como a mais antiga da Península.
Do edifício primitivo resta a austera torre ameiada, núcleo tradicional dos mais antigos solares, em torno da qual se foram distribuindo construções posteriores. O Paço sofreu alterações de monta no século XVIII, certamente no tempo de Domingos Gonçalves de Castro Cibrão, então senhor da casa e da honra, e cuja família, radicada no Minho, terá adoptado a palavra Cibrão, corruptela arcaica de Cipriano, como apelido. Datam desta remodelação a maior parte das construções hoje existentes, incluindo a habitação principal, uma casa de rés-do-chão e primeiro andar distribuída por vários corpos articulados, de planta em U, rodeando um pátio interior dominado pela mole do torreão. A entrada principal, feita através de uma escadaria exterior de acesso ao piso nobre e voltada para um terreiro, é típica dos solares rurais da região, acrescentando mais aparato às frontarias. As construções estão envolvidas pela mata de árvores seculares e espelhos de água, integrando um ameno jardim de buxos e topiária, do lado do terreiro; o pátio interior exibe, ao centro, uma fonte com taça onde domina a figura de Neptuno, rodeado por quatro golfinhos jorrando água. Existem ainda vários lambris e bancos cobertos por azulejos setecentistas policromados.
Entre os testemunhos do acolhimento que aqui recebiam os romeiros, e que certifica igualmente da nobreza e importância da honra de São Cipriano, estava uma albergaria para pobres, que deixou de funcionar por volta de 1825 (António Lambert Pereira da SILVA, 1924). Por sua vez, a capela (dedicada a Santo António) funciona aqui num edifício isolado, de acordo com o que é habitual encontrar em solares mais antigos; esta característica permitia a abertura do oratório ao culto público, contribuindo para o prestígio da família proprietária, e denunciando o apoio espiritual ministrado aos peregrinos. Esta capela foi inteiramente reconstruída em 1758, sendo hoje um corpo quadrangular coroado por sineira e rasgado por um singelo portal de verga recta, encimado por frontão triangular.
Em finais do século XVIII, a casa estava na posse dos descendentes das famílias Cibrão e Santiago, de quem restam marcas heráldicas nas armas esculpidas no portão de entrada da propriedade, que abre para o terreiro. Foi justamente por ordem de João da Costa Santiago Carvalho e Sousa que todo o conjunto sofreu cuidadosas obras de recuperação, no início do século XX. E foram ainda os Santiago Sottomayor, últimos herdeiros da propriedade, quem promoveu a adaptação do Paço a Turismo de Habitação, em funcionamento desde 1982, permitindo a manutenção das habitações e dos seus frondosos jardins, sem deturpação da função original da torre quatrocentista e suas dependências. SML

Bibliografia

Título

Palácios e solares portuguezes (Col. Encyclopedia pela imagem)

Local

Porto

Data

1900

Autor(es)

SEQUEIRA, Gustavo de Matos

Título

Guimarães - roteiro turístico

Local

Guimarães

Data

1995

Autor(es)

FONTE, Barroso da

Título

Casas Nobres de Portugal

Local

Lisboa

Data

1987

Autor(es)

BINNEY, Marcus

Título

Paço de S. Cipriano, in Guia de Portugal, v.4, t. II : Entre Douro e Minho, Minho, pp. 1262-1263

Local

Lisboa

Data

1924

Autor(es)

SILVA, António Lambert Pereira da

Título

Cozinhas. Espaço e Arquitectura

Local

Lisboa

Data

2006

Autor(es)

PEREIRA, Ana Marques