Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Ázere - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Ázere

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Ázere (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Coimbra / Tábua / Ázere e Covelo

Endereço / Local

Largo do Pelourinho
Ázere

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Implantado no centro da povoação de Ázere, no Largo D. Afonso II, localizado nas imediações da igreja matriz, o Pelourinho de Ázere é uma composição pétrea constituída por uma coluna que assenta sobre uma plataforma larga composta por um único degrau quadrangular. A coluna divide-se em três partes distintas. A primeira corresponde à base prismática, também de secção quadrangular, seguida por uma moldura em meia-cana e por novo troço quadrangular de dimensão ligeiramente menor. A segunda comporta o fuste, de secção oitavada, com dois curtos troços quadrangulares nas extremidades de bordos chanfrados; no topo deste assenta um ábaco quadrangular, encimado por molduras crescentes. A parte superior do conjunto corresponde ao remate, constituído por um pináculo piramidal, decorado com pequenas carrancas salientes nos ângulos inferiores e terminado na forma de uma bola; sobre esta dispõe-se uma esfera armilar estilizada, em ferro.
HistóriaA povoação de Ázere, que atualmente é sede de uma freguesia do concelho de Tábua, formou-se a partir de um couto instituído por D. Afonso Henriques e sua mãe, D. Teresa. O foral que constituiu este foro foi outorgado pela condessa e pelo futuro rei em 1136, designando-se Foro de Sena, e instituindo um território que abrangia abrangia Ázere, assim como todo o atual concelho de Tábua, conforme registaram mais tarde as Inquirições de D. Afonso III. Foi precisamente este último monarca quem, em 1254, concedeu um novo foral à povoação, instituindo-a como vila e sede de concelho.
Não se conhece nenhum outro documento foralengo referente a Ázere, nomeadamente durante a reforma administrativa ocorrida no reinado de D. Manuel I, que reformou a organização concelhia do território. No entanto, o pelourinho que hoje se ergue no centro da povoação como memória do extinto concelho inclui um elemento datável do século XVI, a peça de remate, que é visivelmente mais antiga que a restante estrutura, resultante de uma possível reconstrução do século XVIII. O concelho de Ázere seria extinto em 1836, com a nova reforma administrativa liberal, integrando-se então no município de Tábua.
Este pelourinho foi, em conjunto com a maioria dos seus congéneres, classificado em 1933, atendendo à sua importância como memória da "antiga e característica organização social" do território português.
Catarina Oliveira
DGPC, 2019
(em colaboração com Luís Pedro Ferreira, Câmara Municipal de Tábua)

Imagens

Bibliografia

Título

Inventário Artístico de Portugal: distrito de Coimbra

Local

Lisboa

Data

1952

Autor(es)

GONCALVES, António Nogueira, CORREIA, Vergílio

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde

Título

Tábua: história, arte e memória

Local

Tábua

Data

2009

Autor(es)

DUARTE, Marco Daniel

Título

Pelourinhos do distrito de Coimbra

Local

Viseu

Data

2003

Autor(es)

SOUSA, Júlio Rocha e

Título

Pelourinhos tabuenses, in Arganilia. Revista cultural da Beira-Serra, 3.ª série, n.º 25, Dezembro de 2012, pp. 212-215

Local

Arganil

Data

2012

Autor(es)

MATA, Nuno