Saltar para o conteúdo principal da página

Teatro Ester de Carvalho (antigo Teatro Infante D. Manuel) - detalhe

Designação

Designação

Teatro Ester de Carvalho (antigo Teatro Infante D. Manuel)

Outras Designações / Pesquisas

Teatro Infante D. Manuel / Teatro Ester de Carvalho (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Teatro

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Coimbra / Montemor-o-Velho / Montemor-o-Velho e Gatões

Endereço / Local

Rua Doutor Galvão
Montemor-o-Velho

Número de Polícia: n.º 99 a 103

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 67/97, DR, I Série-B, n.º 301, de 31-12-1997 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Edificado em 1882, no local onde anteriormente existia a capela da confraria dos Clérigos de São Pedro, o teatro Ester de Carvalho foi objecto de uma remodelação poucos anos depois, sendo inaugurado a 27 de Dezembro de 1903. O edifício, de linhas depuradas, destaca-se na frente urbana em que se insere pelas dimensões, tonalidades e pelo frontão triangular, mais elevado em relação à linha dos telhados dos restantes imóveis.
A fachada apresenta quatro registos. O primeiro, no qual se abrem duas portas laterais de verga recta, e um axial, em arco abatido, não foi pintado e distingue-se do segundo registo por um friso que se eleva ao centro, acompanhando a maior altura do portal. Segue-se um pano murário cego, delimitado entre dois frisos, e um terceiro registo, com três janelas coincidentes com os vãos do piso térreo, e com dois medalhões entre si. Estes, exibem bustos alusivos a importantes figuras do teatro do início do século - o actor Taborda e o dramaturgo Almeida Garrett.
Por fim, a cornija, assente sobre as pilastras que limitam o frontispício, suporta um frontão triangular, em cujo tímpano se inscreve o nome da casa - THEATRO ESTER DE CARVALHO. A designação inicial de Teatro Infante D. Manuel foi alterada com o objectivo de homenagear a actriz natural de Montemor (1858-1885), que conheceu grande fama no Brasil.
No interior, o palco é mais elevado em relação à plateia, de planta rectangular, com balcão posterior, e em torno da qual se distribuem os camarotes. Dos elementos decorativos subsistentes destacam-se as pinturas, de gosto cenográfico e revivalista, do final do século XIX.
Na mesma época surgiram outros teatros de dimensões semelhantes e de grande interesse, mas o teatro Ester de Carvalho inscreve-se no conjunto daqueles cujo espaço resulta da reutilização de um antigo recinto religioso (CARNEIRO, 2002, p. 420).
O teatro foi objecto de um projecto de recuperação, em 1998, da autoria do arquitecto José António Bandeirinha, com a colaboração dos arquitectos Fernando Fonseca e José Manuel Oliveira, encontrando-se, hoje, em pleno funcionamento.
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

Terras de Montemor-o-Velho

Local

-

Data

1992

Autor(es)

CONCEIÇÃO, Augusto dos Santos

Título

Terras de Montemor-o-Velho

Local

Coimbra

Data

1944

Autor(es)

CONCEIÇÃO, Augusto dos Santos

Título

Teatros portugueses de raíz italiana, Dissertação de Doutoramento em Aruqitectura apresentada à Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto

Local

Porto

Data

2002

Autor(es)

CARNEIRO, Luís Soares

Título

Recuperação do edifício do Teatro Esther de Carvalho - Memória Descritiva, Inspecção Geral das Actividades Culturais - Dossier do Teatro Esther de Carvalho, código 06.10.0024

Local

-

Data

-

Autor(es)

BANDEIRINHA, José António