Saltar para o conteúdo principal da página

Capela da Misericórdia de Montemor-o-Velho - detalhe

Designação

Designação

Capela da Misericórdia de Montemor-o-Velho

Outras Designações / Pesquisas

Capela da Santa Casa da Misericórdia de Montemor-o-Velho (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Capela

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Coimbra / Montemor-o-Velho / Montemor-o-Velho e Gatões

Endereço / Local

Avenida José de Nápoles
Montemor-o-Velho

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 37 728, DG, I Série, n.º 4, de 5-01-1950 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Fundada no ano de 1498 por iniciativa da Rainha D. Leonor, a Misericórdia de Lisboa pretendia dar assistência a "pobres e desamparados", numa época em que a caridade era uma das virtudes cristãs mais observadas no tecido social europeu. O exemplo da irmandade fundada pela rainha na capital foi prontamente seguido em várias localidades do reino, nomeadamente em Montemor-o-Velho, onde um grupo de homens-bons terá instituído a Misericórdia ainda nesse ano de 1498 (GRAÇA, L., GRAÇA, J., 2002).
A existência da Misericórdia seria confirmada em 1546 por D. João III, que através da promulgação de dois alvarás mandava "novamente se ordenar e fazer a confraria da Misericordia". Logo depois, os irmãos davam início à edificação da capela da irmandade, estando a obra terminada em 1555 (MATOS, João C., 1977, p. 40).
Embora a Misericórdia de Montemor-o-Velho tenha sido objecto de algumas intervenções ao nível da estrutura no primeiro quartel do século XVIII, mantém predominantemente o modelo maneirista, sobretudo no que respeita ao programa decorativo. O templo foi construído segundo o modelo-padrão das igrejas de Misericórdia edificadas a partir da segunda metade do século XVI, composta por nave única e capela-mor que se desenvolvem em planimetria longitudinal.
O edifício apresenta uma fachada simples terminada em empena, com portal de volta perfeita ao centro, ladeado por pilastras jónicas, encimado por um entablamento onde foi inserido um escudo nacional de talhe setecentista. Este conjunto é encimado por um nicho decorado com motivos de grotesco que alberga um relevo com a representação da Mater Omnium , atribuído a João de Ruão (BORGES, Nelson C., 1980), encimado por um frontão triangular com a figura do Padre Eterno. Lateralmente foram rasgadas duas janelas. Junto à fachada lateral direita foram edificadas a sacristia e a casa de despacho da irmandade, construída no século XVII.
O interior apresenta-se como um espaço único com coro-alto, púlpito colocado do lado do Evangelho, e tribuna dos mesários, com colunas jónicas, edificada no espaço fronteiro nos últimos anos do século XVII. Os panos murários são revestidos com silhar de azulejos enxaquetados azuis e brancos de modelo maneirista. No programa decorativo da igreja destacam-se os retábulo em pedra de Ançã, originários da designada Escola Coimbrã. Os retábulos colaterais têm como tema a Deposição no túmulo , do lado da Epístola, e Cristo no horto , no lado oposto.
O retábulo-mor policromado assenta sobre uma mesa de altar onde foram esculpidas as figuras da Deposição no túmulo , dividindo-se em dois registo, com relevos dedicados à Vida da Virgem. No registo inferior apresentam-se a Anunciação , a Visitação ao centro, e a Natividade . No registo superior foram esculpidas a Mater Omnium , na edícula central, ladeada pela Circuncisão e a Adoração dos Reis Magos .
Catarina Oliveira
GIF/IPPAR/ 22 de Setembro de 2005

Imagens

Bibliografia

Título

João de Ruão, escultor da renascença coimbrã

Local

Coimbra

Data

1980

Autor(es)

BORGES, Nelson Correia

Título

Corografia Portuguesa e descripçam topographica do famoso Reyno de Portugal

Local

Lisboa

Data

1712

Autor(es)

COSTA, Pe. António Carvalho da

Título

Inventário Artístico de Portugal - Aveiro, Beja, Coimbra, Évora, Leiria, Portalegre, Porto e Santarém

Local

Lisboa

Data

2000

Autor(es)

SEQUEIRA, Gustavo de Matos

Título

História das Misericórdias Portuguesas - Parte I

Local

-

Data

2002

Autor(es)

GRAÇA, Joana, GRAÇA, Luís

Título

Montemor-o-Velho. Sua História. Sua Arte

Local

Coimbra

Data

1977

Autor(es)

MATOS, João da Cunha

Título

Manuelino. À descoberta da arte do tempo de D. Manuel I

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

DIAS, Pedro

Título

Retábulos das Misericórdias Portuguesas

Local

Faro

Data

2009

Autor(es)

LAMEIRA, Francisco