Saltar para o conteúdo principal da página

Convento de Nossa Senhora do Carmo dos Carmelitas Descalços, incluindo a Igreja e construções anexas - detalhe

Designação

Designação

Convento de Nossa Senhora do Carmo dos Carmelitas Descalços, incluindo a Igreja e construções anexas

Outras Designações / Pesquisas

Convento de Nossa Senhora do Carmo / Biblioteca Municipal Simões de Almeida (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Convento

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Leiria / Figueiró dos Vinhos / Figueiró dos Vinhos e Bairradas

Endereço / Local

Rua dos Bombeiros Voluntários, entre os n.os 13 e 15 e construções anexas nos n.os 15 a 21
Figueiró dos Vinhos

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 2/96, DR, I Série-B, n.º 56, de 6-03-1996 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A povoação de Figueiró dos Vinhos foi fundada em 1204 por D. Pedro Afonso, filho natural de D. Afonso Henriques, passando a partir de então a ser sede de concelho. Expandindo-se progressivamente ao longo das centúrias seguintes, a vila conheceu um crescimento económico e populacional ao longo do século XVI. No entanto, embora a povoação se desenvolvesse, era notória nos finais de Quinhentos a inexistência de uma casa de religiosos dentro dos limites da localidade.
Assim, no ano de 1597 D. Pedro de Alcáçova, senhor de Figueiró e Pedrogão, juntamente com Frei António de Évora, decidiram fundar um convento de Carmelitas Descalços em Figueiró. O processo de instituição foi concluído no ano seguinte, e as obras do edifício seriam iniciadas em 1601.
O conjunto do Convento de Nossa Senhora do Carmo é composto pela igreja e pelas dependências conventuais, que incluem o claustro de planta quadrangular. O templo obedece ao protótipo das igrejas conventuais dos Carmelitas Descalços, que seguem o modelo desenhado por Francisco de Mora para a igreja do Convento dos Remédios de Évora, repetido posteriormente "(...) no Colégio dos Marianos de Coimbra e nos conventos da mesma ordem espalhados pelo País (...)" (CORREIA, José Eduardo Horta, 1986, p. 126).
A igreja, de planta em cruz latina abobadada, apresenta uma fachada rectangular de linhas austeras encimada por frontão triangular ladeado por pináculos. No piso inferior da fachada é aberta uma galilé, formada por três arcos, sendo o central mais elevado. Este conjunto é encimado por um janelão, e no caso do templo de Figueiró dos Vinhos, foi aberto um nicho que albergava a imagem de Nossa Senhora do Carmo.
No espaço interior destacam-se os retábulos de talha dourada setecentista, colocados no altar-mor e nos colaterais, bem como os azulejos de padrão azuis e amarelos que revestem as paredes laterais do templo, de manufactura seiscentista.
Depois da extinção das Ordens Religiosas, o edifício principal e a igreja do Convento do Carmo foram doados à Misericórdia da vila, enquanto o restante espaço, incluindo o claustro, foram vendidos a um particular. O espaço anexo ao templo foi usado, a partir de 1882, para a instalação do Hospital da Misericórdia, que aí funcionou até meados do século XX.
Catarina Oliveira
GIF/ IPPAR/ 2005

Imagens

Bibliografia

Título

A Arquitectura - Maneirismo e «estilo chão», História da Arte em Portugal - O Maneirismo

Local

Lisboa

Data

1986

Autor(es)

CORREIA, José Eduardo Horta

Título

Inventário Artístico de Portugal - Aveiro, Beja, Coimbra, Évora, Leiria, Portalegre, Porto e Santarém

Local

Lisboa

Data

2000

Autor(es)

SEQUEIRA, Gustavo de Matos