Saltar para o conteúdo principal da página

Morabito do Cercal, também denominado «Capela de Nossa Senhora da Ajuda» ou «Capela da Senhora da Ajuda» - detalhe

Designação

Designação

Morabito do Cercal, também denominado «Capela de Nossa Senhora da Ajuda» ou «Capela da Senhora da Ajuda»

Outras Designações / Pesquisas

Morábito do Cercal / Capela de Nossa Senhora da Ajuda(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Capela

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Cadaval / Lamas e Cercal

Endereço / Local

Rua Alto da Ajuda
Cercal

Número de Polícia: 8

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 67/97, DR, I Série-B, n.º 301, de 31-12-1997 (ver Decreto)
Edital N.º 43 de 12-11-1996 da CM de Cadaval
Despacho de classificação de 17-10-1996 do Ministro da Cultura
Parecer de 10-09-1996 da 1.ª Secção do Conselho Consultivo do IPPAR a propor a classificação como IIP
Despacho de abertura de 31-05-1994 do presidente do IPPAR
Proposta de 27-05-1994 da DR de Lisboa para a abertura da instrução de processo de classificação
Em 3-03-1994 foi solicitado à CM do Cadaval o envio de documentação para instrução de processo de classificação
Em 14-10-1986 foi solicitado à Comissão Instaladora da AEDPNCRC o envio de documentação para instrução de processo de classificação
Processo iniciado em 1986 no IPPC

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O orago de Nossa Senhora da Ajuda, no Cercal, foi instituído cerca de 1602 por Gil Sacadura, que terá patrocinado a edificação de uma pequena capela rural, reaproveitando a estrutura de um morabito do século XII.
A capela desenvolve-se em planimetria em L, sendo composta pela articulação de três corpos distintos. O corpo central, de secção quadrada e cobertura em abóbada, corresponde à construção primitiva, sendo reutilizado como espaço da capela-mor.
A este foram adossados dois corpos, de planta rectangular. Um deles, articulado com o corpo principal através de um arco de volta perfeita, corresponde à nave do templo.
Catarina Oliveira
GIF/ IPPAR/ 2005