Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Sernancelhe - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Sernancelhe

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Sernancelhe (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viseu / Sernancelhe / Sernancelhe e Sarzeda

Endereço / Local

Praça da República
Sernancelhe

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Situada entre as serras da Lapa e da Zebreira, e junto ao Rio Távora, nas denominadas Terras do Demo, numa zona de particular beleza natural, as origens de Sernancelhe perdem-se no tempo, como evidenciam os testemunhos arqueológicos identificados e recolhidos até agora, enquanto algumas lendas locais atribuem a sua peculiar denominação a episódios ocorridas na Reconquista, assim como às particularidades topográficas do morro onde se ergue o castelo.
Existindo já no século X, e possivelmente construída sobre as ruínas de um povoado fortificado de altura da Idade do Ferro - castro -, Sernancelhe obteve foral em 1124, durante o governo de D. Teresa (1092-1130), por iniciativa de dois ricos-homens, de seus nomes Egas Gosende e João Viegas, que incentivaram o seu repovoamento, num século em que se construíram outras estruturas marcantes do seu centro, a exemplo da igreja Matriz, de traçado românico. A localidade veria, entretanto, confirmado o primeiro foral nas regências de D. Afonso II (1185-1223), em 1220, e de D. Dinis (1261-1325), em 1295, para ser renovado com D. Manuel I (1469-1521), decorria o ano de 1514.
Embora corresponda a estes reinados parte expressiva dos inúmeros imóveis que Sernancelhe ainda ostenta, o símbolo maior da autonomia judicial - pelourinho - exibe uma data posterior: 1554.
Erigido no centro das actividades da povoação, fronteiro à residência da família Fraga de Azevedo que foi, há muito, utilizada para outras finalidades, designadamente camarárias e judiciárias, o pelourinho inscreve-se, do ponto vista arquitectónico e decorativo, no denominado estilo manuelino, resultando de uma reformulação conduzida no tempo de D. João III (1502-1557), assim como de uma pequena intervenção de restauro efectuada já na década de cinquenta de novecentos.
De "gaiola" estilizada e afeiçoado numa das matérias-primas mais abundantes na zona - granito -, o pelourinho, com mais de nove metros de altura, é constituído por plataforma de três degraus octogonais sobre a qual assenta base de um único degrau de igual configuração, como octogonal é o fuste (com seis metros de altura) que nele se eleva, e em cujo capitel, tronco-piramidal oitavado, foi gravado o sobredito ano. Quanto ao remate, ele é formado por oito colunelos cilíndricos e lavrados ligados à parte superior da "gaiola" sustentada por esteio interior, e sobre a qual se eleva pináculo composto de gola encimado por pomo no qual se crava grimpa de ferro com cruz.
[AMartins]

Imagens

Bibliografia

Título

Beira Histórica Arqueológica e Artística: Memórias de Viseu (Arredores)

Local

Viseu

Data

1941

Autor(es)

COELHO, José M. A.

Título

Viseu

Local

Lisboa

Data

1989

Autor(es)

CORREIA, Alberto

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde

Título

Património Arquitectónico e Arqueológico Classificado. Distrito de Viseu

Local

Lisboa

Data

1993

Autor(es)

-

Título

Elementos para um inventário artístico da cidade de Viseu, Revista Beira Alta, Viseu, vol. XX, 1961

Local

Viseu

Data

1961

Autor(es)

VALE, Alexandre de Lucena e

Título

Viseu monumental e artístico

Local

Viseu

Data

1969

Autor(es)

VALE, Alexandre de Lucena e

Título

Pelourinhos do Distrito de Viseu

Local

Viseu

Data

1998

Autor(es)

-

Título

Sernancelhe - Roteiro Turístico

Local

Sernancelhe

Data

1992

Autor(es)

CORREIA, Alberto

Título

Sernancelhe, Tesouros Artísticos de Portugal

Local

Lisboa

Data

1976

Autor(es)

ALMEIDA, José António Ferreira de

Título

Roteiro Turístico do Distrito de Viseu

Local

Viseu

Data

1981

Autor(es)

CORREIA, Alberto