Saltar para o conteúdo principal da página

Capela de Nossa Senhora das Lezírias - detalhe

Designação

Designação

Capela de Nossa Senhora das Lezírias

Outras Designações / Pesquisas

Capela de Nossa Senhora das Lezírias (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Capela

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Aveiro / Anadia / São Lourenço do Bairro

Endereço / Local

EN 334 (ao Km 30,800)
Lezírias

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 67/97, DR, I Série-B, n.º 301, de 31-12-1997 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Esta pequena capela foi construída no último quartel do século XVII, por ordem do prior António Álvares, conforme atesta a inscrição da sua lápide sepulcral, datada de 1684 e colocada na capela-mor. No entanto, este templo terá sido edificado sobre um edifício anterior, subsistindo a imagem do orago, representando a Virgem, inserida no retábulo-mor e executada no século XV.
Embora de construção tardia, a estrutura maneirista da capela, tanto no exterior como no programa decorativo, apresenta evidentes influências do estilo coimbrão, difundido por toda a região do Mondego a partir da segunda metade do século XVI. É de salientar a curiosa persistência dos modelos maneiristas eruditos emanados dos colégios de Coimbra numa obra rural edificada cem anos depois, em plena exploração do barroco.
O templo possui planta rectangular disposta longitudinalmente, composta pelo espaço da nave única, capela-mor e sacristia. Na estrutura exterior não se salienta a capela-mor, dando a impressão de o templo ser um espaço único, à semelhança do que acontece na Capela de Nossa Senhora das Neves, em Avelãs.
A fachada é delimitada por dois pilares com pináculos, num conjunto de grande sobriedade, tendo ao centro um portal de moldura simples com frontão curvo, ladeado por duas janelas.
No seu interior destaca-se o programa maneirista, de gosto flamengo. O arco que abre para a capela-mor é completamente decorado com motivos grotescos , como ferragens, motivos vegetalistas e querubins, que se prolongam em pendentes e molduras ao longo do entablamento da nave. O espaço da capela-mor é revestido por azulejos monocromáticos com desenhos de florões, executados no final do século XVII.
O retábulo-mor, de talha maneirista, apresenta o mesmo tipo de decoração, com grotescos e ferragens de gosto flamengo, albergando lateralmente as esculturas de Santo António e São Gonçalo de Amarante, e no nicho central a imagem gótica da Virgem com o Menino, de pedra policromada. Cada uma destas imagens tem uma correspondência iconográfica nos baixos-relevos do retábulo, respectivamente a Epifania e a Creche, esculpidas no registo superior, sobre os santos, e a Assunção da Virgem, situada ao centro.
Catarina Oliveira
GIF/IPPAR/ 21 de Junho de 2005

Imagens

Bibliografia

Título

Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Aveiro

Local

Lisboa

Data

1959

Autor(es)

GONCALVES, António Nogueira