Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja da Misericórdia do Fundão, incluindo o seu recheio - detalhe

Designação

Designação

Igreja da Misericórdia do Fundão, incluindo o seu recheio

Outras Designações / Pesquisas

Edifício e Igreja da Santa Casa da Misericórdia do Fundão (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Castelo Branco / Fundão / Fundão, Valverde, Donas, Aldeia de Joanes e Aldeia Nova do Cabo

Endereço / Local

Rua da Misericórdia
Fundão

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 95/78, DR, I Série, n.º 210, de 12-09-1978 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A irmandade da Misericórdia do Fundão foi fundada em 1516 (União das Misericórdias Portuguesas, 2003), funcionando então numa pequena capela dedicada ao Espírito Santo. No entanto, somente no ano de 1595 a confraria recebeu o alvará régio que aprovava o seu compromisso.
Cerca de 1630 a irmandade iniciou a construção de uma nova igreja, junto à Capela de São Miguel. A estrutura do templo seria reformada no segundo quartel do século XIX.
Desenvolvendo-se em planimetria rectangular, a igreja apresenta uma fachada de gosto simples, rasgada por portal com arco em asa de cesto encimado por óculo, e rematada por empena sobre a qual foi disposta dupla sineira de gosto maneirista. O elemento mais curioso do conjunto é o púlpito poligonal assente sobre colunelo disposto junto à porta de entrada.
De nave única, o espaço interior é coberto por tecto de madeira, tendo ao fundo coro-alto. As paredes laterais são cobertas por silhar de azulejos contemporâneos, e o púlpito de talha dourada foi colocado do lado do Evangelho.
Ao fundo, foi edificado o retábulo-mor de talha dourada e policromada de estilo nacional, com tribuna ao centro e eixos laterais com nichos que integram imagens de roca. Esta estrutura, executada e dourada nos finais do século XVII, substituiu o retábulo primitivo, que havia sido doado pelos frades de Nossa Senhora do Seixo quando da edificação da igreja.
Catarina Oliveira
IPPAR/2003

Imagens

Bibliografia

Título

Elementos para um inventário artístico do Distrito de Castelo Branco

Local

Castelo Branco

Data

1976

Autor(es)

SALVADO, António

Título

Corografia Portuguesa e descripçam topographica do famoso Reyno de Portugal

Local

Lisboa

Data

1712

Autor(es)

COSTA, Pe. António Carvalho da

Título

As Misericórdias de Portugal - 2003

Local

Lisboa

Data

2003

Autor(es)

União das Misericórdias Portuguesas

Título

Retábulos das Misericórdias Portuguesas

Local

Faro

Data

2009

Autor(es)

LAMEIRA, Francisco