Saltar para o conteúdo principal da página

Capela de Nossa Senhora de Ceiça - detalhe

Designação

Designação

Capela de Nossa Senhora de Ceiça

Outras Designações / Pesquisas

Capela de Nossa Senhora de Seiça / Capela de Nossa Senhora da Ceiça (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Capela

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Coimbra / Figueira da Foz / Marinha das Ondas

Endereço / Local

-- --
Ceiça

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 251/70, DG, I Série, n.º 129, de 3-06-1970 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A fundação da capela de Nossa Senhora de Ceiça, situada em frente do mosteiro cisterciense com o mesmo nome, encontra-se ligada à lenda do abade João, do Mosteiro do Lorvão que, de acordo com a tradição (só conservada em prosa castelhana - CORREIA, GONÇALVES, 1947) e o conjunto de pinturas exposto no interior da capela, defendeu bravamente a povoação de Montemor-o-Velho contra o ataque de um exército mouro. Apoiado apenas por um número reduzido de cristãos, o abade João perseguiu os mouros até Ceiça, onde os derrotou, fundando uma capela dedicada a Nossa Senhora, em acção de graças pela vitória alcançada (COELHO, 1935, p. 332).
Contudo, nada resta da primitiva ermida, que ruiu em 1590. No seu lugar foi erguida, em 1602, e por iniciativa de Frei Manuel das Chagas, a capela que hoje conhecemos, cuja memória subsiste no lintel da porta (CORREIA, GONÇALVES, 1947).
De planta centralizada, à semelhança de muitas outras construídas na região de Aveiro e Coimbra na segunda metade do século XVII (SERRÃO, 2003, p. 133), a capela de Nossa Senhora de Ceiça exibe um traçado octogonal, repetido no alpendre, mais baixo, que percorre todo o perímetro da ermida. Este, sustentado por colunas dóricas apoiadas no muro, divide o alçado em dois registos - no primeiro, rasga-se a porta de entrada e algumas janelas de secção rectangular; no segundo, abrem-se janelas, em cada um dos lados do polígono, unidas por uma cimalha. Esta última intervenção insere-se nas obras de remodelação do século XVIII, que dotaram a capela do altar-mor dos azulejos e pinturas que hoje observamos (CORREIA, GONÇALVES, 1947).
No interior, encontra-se uma lápide comemorativa da história do Abade João, bem como uma série de pinturas, com legendas, ilustrativas dos mesmos episódios - "Montemor cercada, pelos mouros; degolação de mulheres e crianças pelo abade João e companheiros; combate com os mouros; notícia da ressurreição dos degolados; criado de D. Afonso Henriques caindo do cavalo; cura miraculosa do mesmo criado, erimitão e o rei que lhe promete fundar o mosteiro" (CORREIA, GONÇALVES, 1947).
No retábulo, destaca-se a imagem de Nossa Senhora com o Menino, escultura do século XIV. Por sua vez, o silhar de azulejo prolonga a iconografia mariana, ao representar emblemas da Virgem, tendo sido executado em Coimbra.
Igreja de peregrinação, de gosto barroco, este pequeno templo dedicado a Nossa Senhora de Ceiça, constituiria um volume bastante elevado, caso não fosse interrompido pelo alpendre. Este, deveria albergar bastantes fiéis, dado que as portas e as janelas térreas foram desenhadas de modo a tornar visível o altar, funcionando como uma espécie de prolongamento do espaço interno.
Rosário Carvalho

Imagens

Bibliografia

Título

O Barroco

Local

Lisboa

Data

2003

Autor(es)

SERRÃO, Vítor

Título

Inventário Artístico de Portugal - Aveiro, Beja, Coimbra, Évora, Leiria, Portalegre, Porto e Santarém

Local

Lisboa

Data

2000

Autor(es)

SEQUEIRA, Gustavo de Matos

Título

A capela de Nossa Senhora de Ceiça, Album Figueirense

Local

-

Data

1935

Autor(es)

COELHO, João