Saltar para o conteúdo principal da página

Castelo de Folgosinho - detalhe

Designação

Designação

Castelo de Folgosinho

Outras Designações / Pesquisas

Castelo de Folgosinho(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Militar / Castelo

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Guarda / Gouveia / Folgosinho

Endereço / Local

- -
Folgosinho

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 26 453, DG n.º 70, de 25-03-1936 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

São muito discutidas as origens do castelo de Folgosinho. Em inícios do século XX, alguns investigadores reconheceram vestígios de um primitivo castelo medieval, que então atribuíram à acção de D. Sancho I pela década de 80 do século XII, monarca que concedeu foral à povoação em 1187. Infelizmente, até à data não foi possível confirmar esta suposição, não obstante o concelho de Gouveia ter sido recentemente objecto de múltiplas prospecções arqueológicas, incidentes particularmente sobre a Idade Média. Certo é que, a confirmar-se algum dia esta relação, Folgosinho não terá integrado a primeira linha de conquista e de definição militar do território nacional, aparecendo, somente, numa fase de pleno povoamento.
Mas mesmo esta leitura carece de melhores dados de documentação. Ao longo dos séculos, as referências à estrutura militar são praticamente nulas, associando-se aos forais passados por D. Afonso II, D. Dinis e D. Manuel, mas não evidenciando uma preponderância efectiva no controle e gestão do território.
Em 1938, quando a Junta de Freguesia de Folgosinho chamou a si a intenção de reconstruir o castelo, o monumento estava em ruína e só um espírito historicista, que então animava as estruturas de poder do país, permitiu que se refizesse o que não se sabe ao certo como tinha sido.
O actual castelo é um diminuto recinto circular, com aproximadamente 10 metros de diâmetro, com muralha reforçada por pequeno adarve protegido por merlões e três inventivas guaritas cilíndricas. A porta principal está voltada a Ocidente e, do lado oposto, ergue-se a torre de menagem, de secção quadrangular, com acesso por porta de arco apontado.
PAF

Imagens

Bibliografia

Título

Castelos em Portugal. Retrato do seu Perfil Arquitectónico

Local

Coimbra

Data

2010

Autor(es)

CORREIA, Luís Miguel Maldonado de Vasconcelos