Saltar para o conteúdo principal da página

Dois Obeliscos da Quinta da Prelada e actualmente no Passeio Alegre - detalhe

Designação

Designação

Dois Obeliscos da Quinta da Prelada e actualmente no Passeio Alegre

Outras Designações / Pesquisas

Obeliscos do Passeio Alegre(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Obelisco

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Porto / Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde

Endereço / Local

Passeio Alegre
Porto

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 28 536, DG, I Série, n.º 66, de 22-03-1938 (ver Decreto)

ZEP

Nova proposta de 12-09-2011 da DRC do Norte
Proposta de 15-04-2008 da DRC do Norte para a fixação da ZEP conjunta da Foz Velha, Chafariz do Passeio Alegre, Dois Obeliscos da Quinta da Prelada, Torre, Farol e Capela de São Miguel-o-Anjo, Forte de São João Baptista, Igreja de São João Baptista e Zona do Passeio Alegre e a consequente revogação da ZEP conjunta da Torrem Farol e Capela de São Miguel-o-Anjo

Zona "non aedificandi"

Nova proposta de 12-09-2011 da DRC do Norte
Proposta de 15-04-2008 da DRC do Norte

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A Quinta da Prelada situa-se na área do actual parque da cidade do Porto, integrando a Mata da Prelada, com árvores centenárias, antiga propriedade da família. Foram estes seus primeiros proprietários quem promoveu, entre 1743 e 1758, a construção de uma residência de verão na quinta, obra entregue ao italiano Nicolau Nasoni. Também a Nasoni se deve o traçado do jardim com labirinto de bucho, de acordo com o gosto oitocentista, e de todo o envolvimento paisagístico da casa, com dois elegantes obeliscos prismáticos, encimados por tochas, actualmente recolocados na Foz do Douro, tal como o chafariz conhecido como fonte do cágado. Os obeliscos dominavam a entrada da Quinta, dando para o caminho junto à Quinta da Prelada, por onde entraram na cidade as tropas comandadas por D. Pedro IV, em 1832, ficando desde então associados ao movimento liberal. Para tal contribuirá igualmente o seu aspecto imponente e triunfal, hoje aproveitado para o enquadramento do Passeio Alegre. SML

Imagens

Bibliografia

Título

O Grande Porto

Local

Lisboa

Data

1986

Autor(es)

PACHECO, Helder

Título

Património Arquitectónico e Arqueológico Classificado. Inventário/Portugal

Local

Lisboa

Data

1993

Autor(es)

-