Saltar para o conteúdo principal da página

Forte de Oitavos - detalhe

Designação

Designação

Forte de Oitavos

Outras Designações / Pesquisas

Forte de São Jorge dos Oitavos / Forte de Oitavos / Forte de São Jorge(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Militar / Forte

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Cascais / Cascais e Estoril

Endereço / Local

Estrada do Guincho
Cascais

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 735/74, DG, I Série, n.º 297, de 21-12-1974 (ver Decreto)
Edital de 19-11-1973 da CM de Cascais
Despacho de homologação de 8-08-1973
Parecer de 18-05-1973 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE a propor a classificação como IIP
Proposta de classificação de 6-12-1972 da DGAC

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Edificado entre 1642 e 1648, e integrando o grupo de fortalezas joaninas que formavam uma linha defensiva entre São Julião da Barra e o Cabo da Roca, o Forte de São Jorge de Oitavos é um "(...) caso singular no conjunto das [fortalezas] que se ergueram logo após a Restauração ao longo da costa de Cascais." (BARROS, BOIÇA, RAMALHO, 2001, p. 172).
A sua localização permitia o cruzamento de fogo com as fortalezas de Nossa Senhora da Guia e de São Brás, causando um primeiro impacto de intimidação e persuasão face às armadas inimigas que se aproximavam da costa (Idem, ibidem).
O forte apresenta planimetria poligonal, de lados desiguais, adaptando-se à falésia onde está implantado. As suas dimensões e a organização do espaço são "fora do comum" em relação às fortalezas contemporâneas construídas na costa de Cascais, uma vez que o recinto e a bateria apresentam grandes proporções (Idem, ibidem). Do lado oposto a esta foram dispostos os alojamentos, cinco dependências que formavam um rectângulo.
Embora tenham sido executadas na fortalezas algumas obras de vulto, a sua estrutura manteve "(...) inalteradas, até finais do século XVIII, as suas características formais." (Idem, ibidem, p. 174). Na última década de Setecentos, devido à necessidade de modernizar o sistema defensivo, o Forte de São Jorge foi reformado, e embora a estrutura joanina se tenha mantido, a verdade é que estas obras originaram "um novo espaço fortificado" (Idem, ibidem).
Depois das Guerras Liberais, o forte entrou em progressiva decadência, sendo cedido à Guarda Fiscal em 1889 (Idem, ibidem). Nas últimas décadas do século XX passou para a posse da Câmara Municipal de Cascais, funcionando actualmente como espaço museológico.
Catarina Oliveira
GIF/IPPAR/2006

Imagens

Bibliografia

Título

As fortificações marítimas da costa de Cascais

Local

Lisboa

Data

2001

Autor(es)

RAMALHO, Maria Margarida Marques, BARROS, Maria de Fátima Rombouts, BOIÇA, Joaquim Manuel Ferreira