Saltar para o conteúdo principal da página

Sala do Capítulo, refeitório, cozinha, torre e capela do Mosteiro da Serra do Pilar - detalhe

Designação

Designação

Sala do Capítulo, refeitório, cozinha, torre e capela do Mosteiro da Serra do Pilar

Outras Designações / Pesquisas

Mosteiro de Santo Agostinho da Serra do Pilar / Mosteiro da Serra do Pilar (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Mosteiro

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Vila Nova de Gaia / Santa Marinha e São Pedro da Afurada

Endereço / Local

Largo de Avis
Vila Nova de Gaia

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 25 034, DG, I Série n.º 33, de 11-02-1935 (ver Decreto)
Nota: pelo Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910, havia já sido classificada como Monumento Nacional a "Igreja da Serra do Pilar" (ver Decreto)

ZEP

Portaria de 28-05-1949, publicada no DG, II Série, n.º 137, de 16-06-1949 (com ZNA)

Zona "non aedificandi"

Portaria de 28-05-1949, publicada no DG, II Série, n.º 137, de 16-06-1949

Património Mundial

Abrangido por conjunto inscrito na Lista do Património Mundial da UNESCO, que, ao abrigo do n.º 7 do art.º 15.º da Lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro, se encontra classificado como MN

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Quando em meados do século XVI o mosteiro de São Salvador de Grijó se encontrava em ruínas, D. João III autorizou a transferência desta comunidade crúzia para a serra de São Nicolau de Vila Nova, fronteira à cidade do Porto. Em 1537 fundava-se neste local um novo mosteiro, com a invocação de São Salvador do Mundo e traça elaborada por Diogo de Castilho e João de Ruão, estando as obras a cargo de Frei Brás de Barros. Desde o início que a obra foi supervisionada directamente por D. João III, a quem os arquitectos e Frei Brás de Barros enviavam os desenhos ao rei com regularidade (GOMES, Paulo Varela,2001,p.80). No ano de 1542 estava já realizada a primeira fase construtiva, e os religiosos de Grijó ocupavam já o espaço habitável. Só alguns anos mais tarde, em 1564, os mosteiros de Grijó e da Serra do Pilar ficariam definitivamente separados, por autorização papal de Pio IV. Em 1567 terminava a primeira fase de obras do mosteiro, estando então edificados a igreja e os anexos. A partir da década de 70 as obras do mosteiro ficariam a cargo dos mestres Jerónimo Luís, sendo edificada a hospedaria de cima no ano de 1573. Em 1576 iniciava-se a construção do claustro circular, e no ano seguinte a sua abóbada estava concluída. Mas o claustro só estaria definitivamente construído nos primeiros anos da década de 80, depois de executados os portais, as capelinhas circundantes e a obra de canalização (RUÃO,Carlos,1996,pp.218-220).
Em 1597 era lançada a primeira pedra da "igreja rotunda" do mosteiro, dedicada a Santo Agostinho, que só ficaria concluída mais de meio século depois, em 1672. Mantendo o projecto arquitectónico executado por Castilho e Ruão na década de 30 (GOMES, Paulo Varela,2001,p.80), o templo apresenta no interior uma linguagem arquitectónica e decorativa muito semelhante à da igreja de São Salvador de Grijó. No final do século XVII, em 1690, o prior do convento mandou desmontar o claustro para ser deslocado 15 metros para nascente, de modo a que pudesse ser construído um retrocoro entre a capela-mor da igreja e o claustro, segundo traça da autoria de Domingos Lopes. Nessa época era também executado o retábulo-mor original, montado entre a capela-mor e o retrocoro.
O conjunto monacal apresenta planta composta por volumes da igreja, de planta circular, da capela-mor, de planta rectangular, e do claustro, também de planta circular, todos dispostos sequencialmente. O claustro possui ao centro chafariz de taça, derivado dos modelos de chafarizes quinhentistas da escola dos Lopes. A torre do templo foi edificada do lado esquerdo, e as dependências conventuais dispõem-se lateralmente, formando duas alas.
Para além da construção do retrocoro, o mosteiro foi objecto de algumas obras nas últimas décadas do século XVII, nomeadamente o parapeito e platibanda do claustro. Em 1809 o espaço do mosteiro foi ocupado pelas tropas de Wellington, quando foi planeado o ataque do exército português à cidade do Porto, então ocupada pelas tropas de Napoleão. Durante o século XX, o mosteiro foi objecto de diversas campanhas de obras de restauro e conservação. O Mosteiro da Serra do Pilar encontra-se abrangido pelo Centro Histórico do Porto, inscrito pela Unesco na Lista do Património Mundial.
Catarina Oliveira

Imagens

Bibliografia

Título

O Mosteiro de São Salvador da Serra como Imago Mundi, in Revista MONUMENTOS N.9, Lisboa, 1998, pp. 26-33

Local

Lisboa

Data

1998

Autor(es)

ALCÂNTARA, Fernanda, XAVIER, João Pedro

Título

A edificação da dupla-rotunda do Mosteiro de Santo Agostinho, in Revista MONUMENTOS N.9, Lisboa, 1998, pp. 34-41

Local

Lisboa

Data

1998

Autor(es)

RUÃO, Carlos

Título

O novo corpo da igreja do Mosteiro de Santo Agostinho da Serra e a deslocação do claustro (1690-1691), in Revista MONUMENTOS N.9, Lisboa, 1998, pp. 42-47

Local

Lisboa

Data

1998

Autor(es)

ALVES, Joaquim Jaime Ferreira

Título

Uma Civitas Dei em Quebrantões ou a Cerca do Mosteiro, in Revista MONUMENTOS N.9, Lisboa, 1998, pp. 10-15

Local

Lisboa

Data

1998

Autor(es)

ABREU, Susana Matos

Título

O Mosteiro do Salvador: um projecto do século XVI in MONUMENTOS nº 9, Lisboa, 1998, pp. 16-25

Local

Lisboa

Data

1998

Autor(es)

OLIVEIRA, Marta M. Peters Arriscado de

Título

Arquitectura, Religião e Política em Portugal no século XVII - A Planta Centralizada

Local

Porto

Data

2001

Autor(es)

GOMES, Paulo Varela

Título

A arqueologia medieval e moderna na região do Porto. Breve balanço e algumas reflexões críticas, Al-Madan

Local

Almada

Data

2000

Autor(es)

GOMES, Paulo José Antunes Dórdio, TEIXEIRA, Ricardo Jorge Coelho Marques Abrantes, SILVA, António Manuel S. P., RODRIGUES, Miguel Carlos Lopes Brandão Areosa

Título

Arquitectura maneirista no Noroeste de Portugal

Local

Coimbra

Data

1996

Autor(es)

RUÃO, Carlos

Título

A Arquitectura ao Romano

Local

Vila Nova de Gaia

Data

2009

Autor(es)

CRAVEIRO, Maria de Lurdes