Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja da Misericórdia de Ponte de Lima - detalhe

Designação

Designação

Igreja da Misericórdia de Ponte de Lima

Outras Designações / Pesquisas

Igreja e Hospital da Santa Casa da Misericórdia de Ponte de Lima (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viana do Castelo / Ponte de Lima / Arca e Ponte de Lima

Endereço / Local

Rua Cardeal Saraiva
Ponte de Lima

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 35 817, DG, I Série, n.º 187, de 20-8-1946 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Localizada no centro da vila de Ponte de Lima, fronteira à igreja matriz, a Igreja da Misericórdia é um templo seiscentista, edificado sobre uma capela de edificação anterior. O edifício integra um conjunto edificado onde se inserem, também, a casa consistorial e a sacristia, precedidos por um pátio murado com gradeamento de ferro.
A igreja, que se desenvolve numa planta retangular disposta transversalmente, no topo do pátio, é composta pelos volumes da nave e da capela-mor. À esquerda do frontispício, perpendicularmente ao volume da nave, erguem-se os espaços do antigo hospital, que atualmente é ocupado pela Casa do Consistório e por uma farmácia, e a sacristia, no espaço fronteiro.
O frontispício da igreja corresponde à fachada lateral primitiva é marcada pela abertura do grande portal de granito, que exibe uma moldura retangular ladeada por duas colunas toscanas assentes sobre plintos. Sobre a arquitrave foi executado um relevo com a representação da Mater Omnium, enquadrado também por duas colunas toscanas. O portal é flanqueado por duas figuras assentes em mísulas, à esquerda São Roque, à direita Santo Aleixo.
O espaço interior, de nave única, é coberto por abóbada de madeira dividida em vários tramos com falsas ogivas de gosto manuelino revivalista, pintadas com motivos de brutesco polícromos, igual à abóbada da Matriz de Ponte da Barca. No programa decorativo do espaço interior destacam-se ainda o retábulo-mor de talha dourada, e uma representação da Virgem da Misericórdia em madeira, colocada sob o coro, possivelmente talhada para um antigo retábulo do século XVI.
O edifício do antigo hospital desenvolve-se numa planta retangular dividida em dois pisos, apresentando duas fachadas; a principal, virada à rua, é marcada pela abertura regular de janelas em ambos os registos e pela abertura de um grande portal barroco no extremo esquerdo; a posterior corresponde à que se ergue junto à igreja, com estrutura porticada no piso térreo e loggia toscana no andar superior, à qual se acede pela escadaria lateral. Frente a este eleva-se a sacristia, formando um L com a capela mor do templo.
História
A Irmandade da Misericórdia de Ponte de Lima foi fundada em 1530, passando a partir de então a "polarizar e coordenar a actividade assistencial" na vila (Reis: 1997, p. 26).
Duas décadas depois da fundação, no ano de 1551, eram anexados aos bens da confraria o Hospital dos Gafos e o Hospital da Praça, passando este último a servir como sede da Misericórdia; situado junto às muralhas, o hospital possuía na época uma única enfermaria e uma pequena capela, que funcionava no primeiro andar daquele. Dois anos depois, os irmãos mudavam a capela de localização, ampliando o espaço (Idem, p. 27).
No início do século XVII a capela da irmandade ainda mantinha a estrutura quinhentista, mas cerca de 1629 o provedor Diogo Ferraz propôs à Misericórdia fazer uma nova capela-mor a expensas próprias, com a pretensão de se sepultar nesse local, juntamente com a mulher Mécia Pereira, (Idem, p. 52). Depois de aceite a oferta, foi então encomendada a obra a um artista desconhecido, possivelmente mestre de uma oficina local. O projeto resultaria num amplo templo tardo-maneirista. O retábulo-mor de talha, "uma das mais perfeitas obras do género", bem como a tribuna e o frontal do altar, foram executados cerca de 1742 por Miguel Coelho (Idem, pp. 64-68).
Na década de 20 do século XX, com a abertura da Rua cardeal Saraiva, foi truncada a fachada principal do templo, pelo que "foi necessário arranjar uma fachada para a igreja, que seria uma fachada axial, onde se colocou o antigo portal do hospital, substituindo-se a primitiva entrada que seria lateral" (Pinho: 2013, pp. 299-300).
Catarina Oliveira
DGPC, 2018

Imagens

Bibliografia

Título

Roteiro da Ribeira Lima

Local

Porto

Data

1959

Autor(es)

AURORA, Conde de

Título

Itinerários de Ponte de Lima

Local

Ponte de Lima

Data

1973

Autor(es)

REIS, António Matos

Título

Anais Municipais de Ponte de Lima

Local

Ponte de Lima

Data

1977

Autor(es)

LEMOS, Miguel Roque dos Reis, REIS, António Matos

Título

A Santa Casa da Misericórdia de Ponte de Lima, 1530-1980

Local

Ponte de Lima

Data

1979

Autor(es)

REIS, António Matos

Título

Sobre a iconografia da Mater Omnium: a pintura de intuitos assistenciais nas Misericórdias durante o século XVI, in Oceanus, n.º 35

Local

Lisboa

Data

1998

Autor(es)

SERRÃO, Vítor

Título

História das Misericórdias Portuguesas - Parte I

Local

-

Data

2002

Autor(es)

GRAÇA, Joana, GRAÇA, Luís

Título

A Santa Casa da Misericórdia de Ponte de Lima no passado e no presente

Local

Ponte de Lima

Data

1997

Autor(es)

REIS, António Matos

Título

Dar aos pobres e emprestar a Deus: as Misericórdias de Vila Viçosa e Ponte de Lima (séculos XVI-XVIII).

Local

Barcelos

Data

2000

Autor(es)

ARAÚJO, Maria Marta Lobo de

Título

As Casas da Misericórdia: confrarias da Misericórdia e a arquitectura quinhentista portuguesa. Tese de doutoramento.

Local

Lisboa

Data

2013

Autor(es)

PINHO, Joana Maria Balsa Carvalho de