Saltar para o conteúdo principal da página

Casa da Garrida - detalhe

Designação

Designação

Casa da Garrida

Outras Designações / Pesquisas

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Solar

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viana do Castelo / Ponte de Lima / Arca e Ponte de Lima

Endereço / Local

Rua do Arrabalde
Ponte de Lima

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 28/82, DR, I Série, n.º 47, de 26-02-1982 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Situada num dos extremos da povoação de Ponte de Lima, a Casa Garrida é uma construção que remonta, muito possivelmente, ao último quartel do século XVIII, denotando uma organização barroca mas com uma gramática decorativa rococó. As suas características permitem inscrevê-la na tradição arquitectónica do Norte do país, nomeadamente, no modelo que integra a capela na fachada (AZEVEDO, 1969, p. 81). Contudo, neste caso a capela foi tratada de forma autónoma, encontrando-se, mesmo, afastada do edifício habitacional, ao qual se liga através de um outro corpo, recuado e aberto no segundo registo por uma colunata, que deverá ter sido acrescentado em época posterior (MESQUITA; LIMA, 1973, p. 11).
A casa da Garrida apresenta uma planta formada pelos três corpos já referidos, cujo reflexo é bem evidente no alçado, igualmente irregular. A fachada da casa de habitação, denota uma tendência horizontalizante e desenvolve-se num plano único, apenas dinamizado pela abertura simétrica de vãos (portas e janelas no piso térreo e janelas de sacada no andar nobre), e pelos respectivos elementos decorativos. Assim, os vãos térreos são encimados por motivos florais, mas flanqueados pelas mísulas que suportam as janelas de sacada. Estas, formam um friso que imprime à fachada uma linha horizontal, mas que se equilibra com o sentido vertical conferido pela ligação entre os vãos dos dois andares. Por sua vez, as janelas superiores são encimadas por motivos florais, enrolamentos e concheados, de gosto rococó, que se unem à volumosa cimalha.
O corpo intermédio destaca-se, apenas, pela colunata e pela sineira, colocada junto à capela. Parte desta fachada é ocupada, no piso térreo, por um dos lanços da escadaria de acesso ao templo.
O alçado da capela, de dimensão reduzida, é definido, nos cunhais, por pilastras com pináculos, e rematado por frontão triangular interrompido por cruz. Ao centro, abre-se o portal, ladeado por pilastras que suportam um amplo entablamento, sobre o qual se rasga uma janela e se exibe a pedra de armas.
O imóvel foi vendido em 1970, após o falecimento do proprietário António da Silva Gouveia Vieira Lisboa, e adquirido por Manuel Gonçalves, encontrando-se, a partir de então, no centro de uma polémica entre o novo detentor e a Câmara Municipal de Ponte de Lima. A questão prendia-se com o facto de Manuel Gonçalves pretender desmontar a casa e reestruturá-la num outro local - uma propriedade sua, situada no concelho de Vila Nova de Famalicão. O arquitecto Viana de Lima chegou a elaborar um projecto de recuperação do imóvel, para a nova implantação, que nunca chegou a ser concretizado (MESQUITA; LIMA, 1973, p. 11). Em 1973, a casa foi classificada como Imóvel de Interesse Publico, inviabilizando-se, assim, esta pretensão.
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

Solares Portugueses

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de

Título

Casa da Garrida: recuperação e nova implantação

Local

Vila Nova de Famalicão

Data

1973

Autor(es)

MESQUITA, António Pedro Pinto de, LIMA, Viana de