Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja da Misericórdia de Tavira - detalhe

Designação

Designação

Igreja da Misericórdia de Tavira

Outras Designações / Pesquisas

Edifício e Igreja da Santa Casa da Misericórdia de Tavira(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Faro / Tavira / Tavira (Santa Maria e Santiago)

Endereço / Local

Rua da Galeria
Tavira

Travessa da Fonte
Tavira

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 32 973, DG, I Série n.º 175, de 18-08-1943 (ver Decreto)
Decreto n.º 30 838, DG, I Série, n.º 254, de 1-11-1940 (ver Decreto) (suspendeu o diploma anterior quanto aos imóveis que fossem propriedade particular, até que se cumprisse o disposto no art.º 25.º do Decreto n.º 20 985, DG, I Série, n.º 56, de 7-03-1932 (ver Decreto))
Decreto n.º 30 762, DG, I Série, n.º 225, de 26-09-1940 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

"A Igreja da Misericórdia, construída em 1541 por André Pilarte, é de 3 naves e 4 tramos formados por arcos moldurados assentes sobre colunas com capitéis cuidadosamente ornamentados. Estes capitéis são diferentes entre si, agrupando-se em cinco modelos, correspondentes aos cinco pares de colunas que constituem os tramos, mas com pequenas diferenças também em cada par. Os perfis dos ábacos são decorados com cabeças de anjos, rosetas, taças, leões e cabeças humanas e as volutas nalguns casos substituídas por leões alados e cabeças humanas aladas (demónios?). Integram-se genericamente no estilo de capitel fantasiado da época de D.João III. Além de uma porta interior, de comunicação com a sacristia, que apresenta um molduramento de recorte original, são de assinalar as três portas exteriores: uma, virada a poente, de verga recta encimada por uma vieira, de boa modulação; outra, voltada a nascente, de arco de volta inteira ladeado por pilastras com capitéis de desenho semelhante a modelos da nave e rematado por duas volutas simétricas encimadas por um pináculo; finalmente a porta principal, voltada a sul, de grande imponência e impacte, que Haupt considerou o melhor espécime da Renascença em todo o Algarve. Divide-se em duas partes desfasadas no tempo: o portal propriamente dito, que fazia parte da empreitada da Igreja de 1541, e o remate a partir da arquitrave, objecto de novo contrato em 1551 quando a Igreja já estava acabada. O arco do portal, de volta inteira e decorado no intradorso, está enquadrado por pilastras sobrepostas ornamentadas, com capitéis compósitos ligados por um friso de acantos que antecede a arquitrave, sobre a qual assenta o verdadeiro friso decorado com medalhões e vitórias e centralizado por uma figura barbada. É verdadeiramente original este friso suplementar de acantos entre os cálatos que faz com que o arco da porta fique rebaixado. A decoração do intradorso é constituída por cavalos marinhos, grifos, sereias, figuras geminadas, taças, cisnes, figuras humanas (uma com uma viola), águias, etc., em composição simétrica. A das pilastras, igualmente em composição simétrica, agrupa taças, demónios, vasos, anjos, cisnes, figuras geminadas, medalhões e tabelas com a inscrição MIA (Misericórdia). Sobre a cornija, um óculo aparentemente a ¿ (como na Conceição de Tomar) é sobreposto por uma Senhora da Misericórdia sob docel suspenso por um querubim e ladeado por dois anjos esvoaçantes que com uma das mãos seguram o docel e com a outra o manto, sob o qual se acolhem os rogantes. De um e outro lado as armas reais e da cidade e no enfiamento das pilastras duas altas estátuas de S.Pedro e S.Paulo. Esta Igreja da Misericórdia, rompendo com a tradicional orientação nascente-poente, volta a sua fachada a sul, fronteira à rua que conduz a uma porta da cidade, pelo que parece evidente a preocupação urbanística que terá presidido à sua implantaçaõ, em termos de perspectiva renascentista, ficando o portal com uma propositada frontalidade e um ostensivo impacte. A consciência renascentista subjacente à feitura desta obra está, de resto, patente no contrato entre a Mesa da Misericórdia e André Pilarte, onde se deixa bem claro que a igreja há-de ter "seu portal de pedraria à verdadeira romana que seja portal honrado como pertence a tal obra como esta há-de ser" (ªC.Anica, O Hospital...cit)" In Plano de Reabilitação e Salvaguarda do Centro Histórico de Tavira, da autoria de Carlos Duarte e José Lamas,Ldª

Imagens

Bibliografia

Título

Corografia ou memoria economica, estadistica, e topografica do reino do Algarve

Local

Lisboa

Data

1841

Autor(es)

LOPES, João Baptista da Silva

Título

A igreja da Misericórdia, suplica Misericórdia, Jornal Povo Algarvio, 19 Fevereiro 1958

Local

-

Data

1958

Autor(es)

-

Título

As Misericórdias do Algarve

Local

Lisboa

Data

1968

Autor(es)

PINTO, Maria Helena Mendes, PINTO, Victor Roberto Mendes

Título

O Hospital do Espírito Santo e a Santa Casa da Misericórdia da cidade de Tavira ( da fundação à actualidade - notas )

Local

-

Data

1983

Autor(es)

ANICA, Arnaldo Casimiro

Título

Itinerário do Barroco no Algarve

Local

-

Data

1988

Autor(es)

LAMEIRA, Francisco

Título

A arquitectura do Renascimento em Tavira, in I Jornadas de História de Tavira, Tavira, Clube de Tavira, 1992, pp.81-88

Local

-

Data

1992

Autor(es)

CORREIA, José Eduardo Horta

Título

A arquitectura renascentista algarvia: do modo romano ao Maneirismo, in O Algarve, da Antiguidade aos nossos dias, Lisboa, Colibri, 1999, pp.233-236

Local

-

Data

1999

Autor(es)

SERRÃO, Vítor

Título

Notícias históricas de Tavira, 1937

Local

-

Data

1989

Autor(es)

VASCONCELOS, Damião Augusto de Brito, ANICA, Arnaldo Casimiro

Título

A talha no Algarve durante o Antigo Regime

Local

Faro

Data

2000

Autor(es)

LAMEIRA, Francisco

Título

A arquitectura religiosa do Algarve de 1520 a 1600

Local

Lisboa

Data

1987

Autor(es)

CORREIA, José Eduardo Horta

Título

A Arquitectura ao Romano

Local

Vila Nova de Gaia

Data

2009

Autor(es)

CRAVEIRO, Maria de Lurdes

Título

Retábulos das Misericórdias Portuguesas

Local

Faro

Data

2009

Autor(es)

LAMEIRA, Francisco