Saltar para o conteúdo principal da página

Castro de Ossela - detalhe

Designação

Designação

Castro de Ossela

Outras Designações / Pesquisas

Castro de Ossela / Povoado Fortificado de Ossela / Castelo de Ossela / Monte do Crasto (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt) / (Ver Ficha em www.arqueologia.patrimoniocultural.pt) / (Ver Ficha em www.matriznet.dgpc.pt ) / (Ver Ficha em www.matriznet.dgpc.pt )

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Castro

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Aveiro / Oliveira de Azeméis / Ossela

Endereço / Local

Lugar do Carvalhal
Ossela

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 67/97, DR, I Série-B, n.º 301, de 31-12-1997 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Sítio
O Castro de Osselas localiza-se no concelho de Oliveira de Azeméis, na freguesia de Ossela, entre esta povoação e a de Castelões. Dista sensivelmente 1,3 km para nascente da primeira e 1,5 km a poente da segunda. Implanta-se num esporão, dotado de condições naturais de defesa, com uma altitude máxima de 250 metros, delimitado a este a e a sul pelo rio Caima.
A investigação realizada até à data indica tratar-se de um povoado fortificado de altura, erigido na Idade do Ferro, persistindo na época Romana e registando, ainda, uma ocupação de carácter funerário na época Medieval/Moderna.
Nas imediações conhecem-se vestígios arqueológicos no lugar de Baralhas onde, em 1896, foi recolhido um conjunto de 16 pulseiras em ouro que remontam ao Bronze Final. Da época Romana avultam os vestígios, entre os quais uma inscrição votiva recolhida em Ossela, um tesouro numismático do século V d.C. e notícias de cerâmica e materiais de construção em diversos locais. Félix Alves Pereira indica, em 1907, que o povoado possuía muralhas, embora estas não tenham sido detetadas nos trabalhos arqueológicos já efetuados. A área de escavação é ainda muito contida, mas já permitiu a identificação de compartimentos de planta circular e retangular, de natureza habitacional, assim como sepulturas da época Medieval e Moderna. Destaca-se a recolha de uma pedra almofadada, provavelmente proveniente de um edifício público romano, e o registo de um possível forno, em 1994, postos a descoberto durante a abertura do acesso a uma capela construída na área do povoado. A colocação de infraestruturas no mesmo templo resultou, em 2013, na realização de uma escavação de emergência, onde foi registada a presença de estruturas arqueológicas que se desenvolviam, presumivelmente, sob o adro da capela, posteriormente confirmado por trabalhos de prospeção geofísica que registaram anomalias compatíveis com a existência de construções soterradas. Apesar dos danos causados pela edificação da capela foi possível aferir a presença de níveis arqueológicos preservados.
O espólio recolhido nas campanhas realizadas demonstra uma prevalência dos vestígios atribuíveis à Época Romana, seguido do materiais datáveis da Idade do Ferro.
História
Frei Bernardo de Brito menciona o Monte do Crasto na Monarquia Lusitana a propósito de uma inscrição romana, cuja autenticidade é muito questionada. Seria alegadamente proveniente de uma grande povoação e refere a realização de jogos de gladiadores oferecidos pela Legião X Fretense em honra de Augusto. As primeiras escavações decorreram sob a orientação de Rocha Peixoto, datam de 1908, não se conhecendo inteiramente os resultados. Somente voltou a ser intervencionado em 2013, quando foi realizada uma escavação de emergência, dirigida por João Tiago Tavares, para recuperar os danos causados pela colocação de infraestruturas sem enquadramento arqueológico. Mais recentemente, o projeto de investigação POVOAZ - Povoamento em Oliveira de Azeméis, submetido pelos investigadores Adriaan De Man e João Tiago Tavares poderá trazer novos dados para o entendimento deste arqueossítio.
Ana Vale
DGPC, 2019

Bibliografia

Título

Geographia proto-histórica da Lusitânia. Situação conjectural de Talabriga, O Arqueólogo Português

Local

Lisboa

Data

1907

Autor(es)

PEREIRA, Félix Alves

Título

Povoamento em Oliveira de Azeméis (POVOAZ). Relatório de Progresso - 2016

Local

-

Data

2017

Autor(es)

DE MAN, Adriaan, TAVARES, João Tiago

Título

Relatório Final da Intervenção de Emergência no Castro de Ossela - 2013

Local

-

Data

2014

Autor(es)

TAVARES, João Tiago

Título

Inventário Patrimonial de Vale de Cambra. I - Arqueologia

Local

Vale de Cambra

Data

2001

Autor(es)

QUEIROGA, Francisco M. Veleda Reimão

Título

Contributo para a Carta Arqueológica do Concelho de Oliveira de Azeméis. Da pré-História à romanização, Ul-Vária

Local

Oliveira de Azeméis

Data

1995

Autor(es)

SILVA, Fernando Augusto Pereira da

Título

Achados numismáticos romanos dos castros de Ossela e de Ul (Oliveira de Azeméis - Aveiro), Ul-Vária

Local

-

Data

-

Autor(es)

SILVA, António Manuel dos Santos Pinto

Título

Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Aveiro: Zona Norte

Local

Lisboa

Data

1981

Autor(es)

GONCALVES, António Nogueira

Título

Novo achado de braceletes pré-romanos, O Arqueólogo Português

Local

Lisboa

Data

1896

Autor(es)

VASCONCELLOS, José de Leite de