Saltar para o conteúdo principal da página

Um marco de légua à entrada de Azambuja - detalhe

Designação

Designação

Um marco de légua à entrada de Azambuja

Outras Designações / Pesquisas

Marco de Légua na Azambuja(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Marco

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Azambuja / Azambuja

Endereço / Local

-- -
Azambuja

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 32 973, DG, I Série n.º 175, de 18-08-1943 (classificou como "Um marco de légua à entrada de Azambuja, ao quilómetro 41,420 da estrada nacional n.º 12-1.ª") (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Quem entra na vila de Azambuja, pelas imediações do cemitério, depara-se com a existência de um velho marco de légua, mandado construir no reinado de D. Maria I (1844) e que assinalava a passagem de mais uma légua (neste caso a VIII) na antiga estrada real que, vinda de Lisboa, se dirigia a Santarém.
Estilisticamente, é um marco idêntico aos que se conservam no actual concelho de Vila Franca de Xira e edificados na mesma época e com idênticos propósitos. É formado por duas secções diferenciadas: a inferior corresponde a um maciço paralelipipédico regular, de grandes dimensões, com base saliente e terminação igualmente saliente, com duplo friso; a superior, o remate, é uma plataforma piramidal sobre a qual se ergue amplo globo circular que coroa o conjunto e que é, simultaneamente, um relógio de sol.
Na origem, este marco era acompanhado por outros treze, e resultaram do projecto real de beneficiação de uma das mais importantes estradas do país, tendo em vista não só a deslocação de bens e de pessoas, como também a actividade da mala-posta, estrutura que necessitava de estradas em boas condições para uma mais rápida deslocação.
A classificação deste marco, em 1943, foi acompanhada pela classificação de outros monumentos do género, dispersos pelo antigo aro rural de Lisboa (nomeadamente nos concelhos de Vila Franca de Xira e de Alenquer), numa medida legislativa especificamente destinada à salvaguarda deste tipo de património, numa altura em se comemorava um século sobre a sua edificação.
PAF

Imagens