Saltar para o conteúdo principal da página

Conjunto formado pelas Igrejas de Santa Maria sobre Tâmega e de São Nicolau - detalhe

Designação

Designação

Conjunto formado pelas Igrejas de Santa Maria sobre Tâmega e de São Nicolau

Outras Designações / Pesquisas

Igreja Paroquial de Sobretâmega / Igreja de Santa Maria sobre o Tâmega / Igreja de Santa Maria (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt) / Igreja Paroquial de São Nicolau / Igreja de São Nicolau (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Conjunto

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Marco de Canaveses / Marco

Endereço / Local

-- Igreja de St.ª Maria - na margem direita do rio Tâmega, lugar do Pisão; Igreja de S. Nicolau - na margem esquerda , lugar da Ordem
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 516/71, DG, I Série, n.º 274, de 22-11-1971 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Fronteiras uma à outra, pontuando a paisagem de ambos os lados do rio Tâmega, estas duas igrejas tardo-românicas são importantes marcos civilizacionais dos primeiros tempos da monarquia portuguesa, quando esta região relativamente interior do Distrito do Porto foi objecto de um povoamento mais intenso, organizando-se paroquialmente o território em sedes rurais, cujos monumentos são de pequenas proporções.
Ambas datam genericamente do século XIII e obedecem a um mesmo figurino tipológico: nave única e capela-mor rectangular, coberta por telhado de duas águas assente sobre linha de cachorrada formada por modilhões. A fachada principal, de dois registos, integra portal apontado axial, que permite o ingresso no interior. Dominam as paredes escassamente fenestradas, formadas por aparelho regular disposto horizontalmente, com evidentes sinais de restauro.
Apesar do inquestionável ar de família, motivado tanto pela sincronia cronológica, tanto pela proximidade geográfica e, ainda, pelos semelhantes recursos económicos colocados à disposição dos projectos, reconhecem-se algumas diferenças e uma história específica de cada templo.
Nos inícios do século XVI, o interior das igrejas foi enriquecido com composições de pintura mural, sendo de particular interesse a de São Nicolau. Finalmente, no período barroco, a estrutura arquitectónica foi parcialmente consolidada (com impacto sobre o arco triunfal) e deu-se nova fórmula ao interior da capela-mor, com inclusão de grandioso retábulo de talha dourada que ocultou as pinturas murais.
PAF