Saltar para o conteúdo principal da página

Palácio dos Condes de Anadia, constituído pelo palácio, jardins, quinta e mata anexa - detalhe

Designação

Designação

Palácio dos Condes de Anadia, constituído pelo palácio, jardins, quinta e mata anexa

Outras Designações / Pesquisas

Palácio Anadia / Casa Anadia / Solar dos Pais de Amaral (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt) / Jardins e Mata do Palácio Anadia /Jardins e Mata do Solar dos Paes do Amaral (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Palácio

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viseu / Mangualde / Mangualde, Mesquitela e Cunha Alta

Endereço / Local

Avenida da Liberdade
Mangualde

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como CIP - Conjunto de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 23/2014, DR, 2.ª série, n.º 7, de 10-01-2014 (sem restrições) (ampliou a classificação, alterou a designação e alterou a categoria de classificação para CIP) (ver Portaria)
Despacho de homologação de 28-12-1978 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer favorável de 28-12-1978 da COISPCN
Proposta de 29-11-1978 da DGEMN para alargamento da classificação aos jardins, mata e quinta
Decreto n.º 95/78, DR, I Série, n.º 210, de 12-09-1978 (classificou o Palácio Anadia como IIP) (ver Decreto)
Despacho de homologação de 21-12-1974 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer de 20-12-1974 da JNE a propor a classificação como IIP
Proposta de classificação de 21-11-1972 da DGAC

ZEP

Portaria n.º 23/2014, DR, 2.ª série, n.º 7, de 10-01-2014 (sem restrições) (ver Portaria)
Despacho de homologação de 21-12-2009 da Ministra da Cultura
Parecer favorável de 6-02-2008 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Proposta de 14-12-2007 da DR de Coimbra

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Pertença da família Paes do Amaral, desde o século XVII, a capela e morgadio de São Bernardo foram legados por testamento de Gaspar Paes de Amaral, capitão-mor da vila e concelho de Azurara da Beira (nome pelo qual era designada, até ao final do século XVIII, a localidade de Mangualde) a seu sobrinho Miguel Paes do Amaral, que lhe sucedeu ao no cargo referido, acumulando-o com o de familiar do Santo Ofício, fidalgo d'el Rei e cavaleiro da Ordem de São Bento de Avis (ALVES, 1972, p. 78). Este último foi o responsável pelo alargamento da propriedade, através da aquisição das casas da Câmara, da cadeia e outras casas particulares, e pela reconstrução da capela, o que ocorreu em 1683. É a estas edificações que corresponde o Palácio que hoje observamos, construído por iniciativa de Miguel Paes, mas cujas obras se prolongaram até ao século XIX, época em que ficou concluída a decoração do interior do solar e da capela. Nesta medida, o Palácio Anadia insere-se no quadro da arquitectura civil rococó, apesar de ser ainda muito devedora dos modelos do barroco nortenho de influência nasoniana.
Trata-se de um solar por muitos considerado como uma das mais "sumptuosas residências fidalgas da província da Beira Alta" (ALVES, 1972, p. 77), facto que se compreende se tomarmos em consideração a importância e prestígio da família (que entretanto reunira a Casa de Mangualde com a de Anadia), cujo nome se liga ao de tantas outras instituições da vila (como o Santuário de Nossa Senhora do Castelo ou da Misericórdia, entre outras). Nesta medida, e acentuando a relevância do Solar, aqui trabalharam artistas nacionais e estrangeiros, e muito embora se desconheça o autor do projecto arquitectónico, este tem vindo a ser aproximado à obra de Gaspar Ferreira, e não deixa de ser interessante verificar que o mesmo metre trabalhou na igreja da Misericórdia quando era reitor da confraria Simão Paes de Amaral. Por seu turno, a modelação dos elementos decorativos dos diferentes vãos recordam outras composições de António Mendes Coutinho, discípulo de Nicolau Nasoni, oriundo de Lamego (ALVES, 1972, p. 80).
As fachadas são todas distintas entre si, destacando-se a principal e a sul. A primeira, denota a já referida influência das casas do Norte, no portal central com a varanda superior (AZEVEDO, 1969, p. 88). A segunda ganha especial relevância devido à dupla escadaria semi-circular, atribuída a António Mendes Coutinho, e à loggia que se lhe sobrepõe.
A capela de São Bernardo, no eixo da frontaria, apresenta portal com frontão, janelão sobreposto e remate em platibanda recta. A última intervenção sofrida remonta à segunda década do século XIX, mas é possível que o arquitecto José do Couto tenha realizado alguma obra em 1824 (ANACLETO, 2002, p. 202). O retábulo é o original e o tecto em estuque recorda outras obras de Luigi Chiari (ALVES, 1972, p. 88).
O interior do palácio apresenta um vasto e significativo conjunto de silhares de azulejo. Os do átrio, representando episódios mitológicos, são datados de cerca de 1740 e, muito possivelmente de origem coimbrã, encontrando-se atribuídos a Sousa Carvalho (SIMÕES, ). O conjunto da Sala Nobre, da mesma época e autor, exibe as quatro partes do mundo. Por sua vez, os azulejos do Salão de Baile que ilustram o "Mundo ás avessas", são já da segunda metade do século XVIII, e baseados em gravuras de Oudry.
Por fim, importa referir a colecção de mobiliário, pinturas e gravuras, entre as quais ganha especial interesse a mesa da Sala Nobre com tampo de embutidos marmóreos, executada por Leoni em 1673, e o mobiliário da Sala de Música, com chinoiseries. No campo da pintura, o retrato de Simão Paes do Amaral (10º Senhor da Casa de Mangualde), executado por Pelllegrini em 1806 é, sem dúvida, uma das obras mais significativas.
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

Solares Portugueses

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de

Título

O Palácio dos Paes de Amaral Condes de Anadia, em Mangualde - a sua história e as suas preciosidades, Beira Alta, vol. XXXI, 1972

Local

Viseu

Data

1972

Autor(es)

ALVES, Alexandre

Título

O arquitecto José do Couto e as igrejas paroquiais de Midões e de Nogueira do Cravo, Beira Alta, volume LXI, 2002

Local

Viseu

Data

2002

Autor(es)

ANACLETO, Regina

Título

Casas Nobres de Portugal

Local

Lisboa

Data

1987

Autor(es)

BINNEY, Marcus

Título

Cozinhas. Espaço e Arquitectura

Local

Lisboa

Data

2006

Autor(es)

PEREIRA, Ana Marques