Saltar para o conteúdo principal da página

Casa de Almeidinha, com azulejos do século XVIII e os jardins anexos - detalhe

Designação

Designação

Casa de Almeidinha, com azulejos do século XVIII e os jardins anexos

Outras Designações / Pesquisas

Casa de Almeidinha (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt) / Quinta da Almeidinha (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viseu / Mangualde / Mangualde, Mesquitela e Cunha Alta

Endereço / Local

- -
Almeidinha

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 95/78, DR, I Série, n.º 210, de 12-09-1978 (ver Decreto)
Despacho de homologação de 17-01-1975 do Secretário de Estado da Cultura e Educação Permanente
Parecer de 17-01-1975 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE a propor a classificação como IIP
Proposta de classificação de 30-01-1973 da DGAC

ZEP

Portaria n.º 178/2014, DR, 2.ª série, n.º 44, de 4-03-2014 (sem restrições) (ver Portaria)
Despacho de homologação de 23-10-2002 do Ministro da Cultura
Parecer favorável de 26-09-2002 do Conselho Consultivo do IPPAR
Proposta de 3-03-2000 da DR de Coimbra
Despacho N.º 12/97, de 2-09-1997, do vice-presidente do IPPAR a determinar o estudo de uma ZEP para o imóvel

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Construída em meados do século XVI por Estevão Dias do Amaral, a Casa de Almeidinha passou a dispor de capela, dedicada ao Espírito Santo, a partir de 1590, devendo-se a iniciativa desta edificação a Gaspar Paes do Amaral, fidalgo da Casa d'El Rei e filho do primeiro proprietário. De acordo com uma inscrição na capela, esta foi remodelada em 1741 - data a partir da qual foi permitido celebrar missa -, prolongando-se as obras à casa de habitação, então ampliada por Manuel Osório de Amaral.
Na segunda metade de Setecentos, Simeão do Amaral Osório mandou revestir algumas das salas com silhares de azulejo. As intervenções continuaram depois, no século XIX, desta feita em consequência da criação do título de Barão por D. Maria, em 1840, e do título de Visconde de Almeidinha por Decreto de D. Luís, em 1865. Foi o 1º Visconde, João Carlos do Amaral Osório de Sousa Pizarro (que era 2º Barão de Almeidinha), quem realizou novas obras no edifício, alterando a entrada principal, sobre a qual colocou, em destaque, as suas armas.
Do edifício original conserva-se a torre, visível principalmente no alçado Norte, e a abóbada polinervada e estrelada da capela-mor, que assenta sobre mísulas. A estrutura dos restantes espaços corresponde às obras dos séculos XVIII e XIX.
O volume da zona habitacional desenvolve-se longitudinalmente, em dois pisos. Na fachada principal, seccionada por pilastras, ganha especial interesse a entrada, antecedida por escadaria de acesso à varanda coberta, marcada por três arcos rebaixados. Sobre o arco central encontra-se a pedra de armas já referida, fazendo elevar a linha da cornija que desenha um frontão semicircular. Este volume forma um L com o corpo em que a capela se insere. Ao centro de um volume baixo e aberto por janelas e óculos ovais, o frontispício do templo é delimitado por pilastras, terminando em empena. O portal de verga recta ladeado por pilastras estriadas, é rematado por frontão de aletas interrompido pelo escudo esquartelado: no primeiro quartel Amaral; no segundo Osório; no terceiro Cabral e no quarto Fonseca.
No alçado posterior da casa, igualmente seccionado por pilastras, e aberto por janelas de moldura trabalhada, destaca-se a varanda reentrante, suportada por colunas.
Uma última referência para os jardins, onde se encontra o Pátio das Acácias e diversos equipamentos, como a casa de fresco, a fonte e os bancos de pedra, ou o denominado Jogo da Pela, com uma fonte de grandes dimensões, rematada por volutas e fogaréus e com espaldar anteriormente revestido por azulejos azuis e brancos (SIMÕES, 1979).
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

Nobres Casas de Portugal

Local

Porto

Data

1958

Autor(es)

SILVA, António Lambert Pereira da

Título

Azulejaria em Portugal no século XVIII

Local

Lisboa

Data

1979

Autor(es)

SIMÕES, J. M. dos Santos

Título

Cozinhas. Espaço e Arquitectura

Local

Lisboa

Data

2006

Autor(es)

PEREIRA, Ana Marques

Título

Amaraes Osórios senhores da Casa de Almeidinha: subsídios para a sua genealogia

Local

Lisboa

Data

1986

Autor(es)

TAVARES, José Carlos de Ataíde de