Saltar para o conteúdo principal da página

Casa da Avenida Central, 118-124 - detalhe

Designação

Designação

Casa da Avenida Central, 118-124

Outras Designações / Pesquisas

Casa Rolão / Casa da Avenida Central / Casa Rolão (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Braga / Braga (São José de São Lázaro e São João do Souto)

Endereço / Local

Avenida Central
Braga

Número de Polícia: 118-124

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Propriedade da família Rolão, que se dedicava ao fabrico de sedas (SMITH, 1973, p. 55), esta casa situa-se na Avenida Central, que corresponde ao antigo Campo de Sant'Ana, uma importante área da cidade, onde também se encontra a igreja do convento dos Congregados e o recolhimento das Convertidas.
O espaço foi aberto durante o bispado de D. Diogo de Sousa e integrou-se na dinâmica renovadora e expansionista deste prelado renascentista. Mais tarde, foram as fachadas cenográficas de André Soares (que desenhou os edifícios referidos) a modificar o Campo de Sant'Ana, inserindo-o na nova corrente tardo-barroca e rococó que caracterizou a cidade, e na qual o arquitecto bracarense foi uma figura essencial. Por outro lado, estas obras denotam a evolução urbana de Braga, que no século XVIII se definia em função dos denominados Campos ou praças.
Muito embora não tenham subsistido documentos que comprovem a autoria da Casa Rolão, esta tem vindo a ser atribuída a André Soares, pois as suas características integram-se plenamente no conjunto de obras deste arquitecto (SMITH, 1973, p. 31). Edificado entre 1758 e 1761, o imóvel revela elementos que se aproximam de outras arquitecturas de Soares, situando-se numa linha de fronteira entre a primeira fase da sua carreira, de cariz rocaille, e o trabalho que desenvolveu em época posterior, de linguagem mais depurada, e da qual a vizinha igreja dos Congregados é um dos melhores exemplos.
A fachada da Casa Rolão apresenta dois andares, de linhas rectas, muito ao gosto da arquitectura civil bracarense do início do século XVIII (SMITH, 1973, p. 31). Todavia, as composições de influência rocaille animam as molduras das portas e janelas que rasgam simetricamente ambos os pisos, emprestando-lhes um movimento que denota a influência "das fantasias das gravuras de Augsburgo", tão utilizadas por André Soares (SMITH, 1973, p. 31). Por sua vez, as pilastras que ladeiam o edifício, com almofadas de grandes dimensões, recordam também a obra deste arquitecto, tal como o entablamento. Remata o conjunto uma balaustrada com vasos laterais, atrás da qual foi acrescentado um novo piso, em época posterior.
Nesta medida, a Avenida Central revela-se um importante local para o conhecimento da obra de André Soares, uma vez que os edifícios da sua autoria documentam diferentes épocas e linguagens, permitindo perceber o sentido do desenvolvimento do seu trabalho.
Rosário Carvalho

Imagens

Bibliografia

Título

André Soares, arquitecto do Minho

Local

Lisboa

Data

1973

Autor(es)

SMITH, Robert C.

Título

SOARES, André, Dicionário da Arte Barroca em Portugal

Local

Lisboa

Data

1989

Autor(es)

PEREIRA, José Fernandes