Saltar para o conteúdo principal da página

Estação com gravuras rupestres em Mazouco - detalhe

Designação

Designação

Estação com gravuras rupestres em Mazouco

Outras Designações / Pesquisas

Gravuras Rupestres do Mazouco / Gravuras rupestres de Mazouco / Estação com gravuras rupestres no local do Carneiro - Cabeço da Vigia (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Arte Rupestre

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Bragança / Freixo de Espada à Cinta / Freixo de Espada à Cinta e Mazouco

Endereço / Local

Local de o «Carneiro»
Cabeço da Vigia

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 31/83, DR, I Série, n.º 106, de 9-05-1983 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Classificadas em 1983 como "Imóvel de Interesse Público", as "Gravuras Rupestres do Mazouco" estão localizadas num pequeno planalto sobranceiro à margem direita da rib.ª de Albagueira, a cerca de 1800 m do vale do rio Douro e a poucos metros do actual nível das suas águas.
É num afloramento xisto-grauvaque, onde se formou um abrigo pouco profundo, exposto no sentido do curso da ribeira, que se ergue o painel gravado de forma perpendicular ao abrigo e defronte do rio.
Desenvolvido em dois planos distanciados originados por fracturas da própria rocha, o painel exibe várias figuras, a primeira das quais foi obtida, tal como as demais, através da técnica de incisão, encontrando-se, claramente, no eixo central de todo o esquema presente na superfície rochosa. Trata-se de um cavalo de pequenas dimensões, com cerca de sessenta e dois centímetros de comprimento, destituído da finalização da zona do focinho devido a uma fractura ocasionada recentemente no seu suporte matérico. A sua representação foi conseguida através da figuração, por exemplo, da cauda e do esboço das patas, enquanto que a linha do vente foi obtida mediante a execução de duas linhas de acentuada curvatura, tal como, aliás, a linha dorsal, que acaba por convergir numa crina bastante saliente. Além disso, foi representado o sexo masculino do equídeo, ao mesmo tempo que um dos seus olhos, a sugerir, no fundo, o seu perfil.
Quanto à segunda figura, traçada acima da primeira e num plano mais recuado, ela parece reportar-se a uma pata traseira e a uma cauda de um qualquer animal, representado, aqui, apenas por alguns traços, mas cuja identificação se torna sobremaneira difícil pelo facto de uma fractura ter, em tempos, acarretado a perda dos restantes elementos que poderiam ter possibilitado a sua leitura integral. Uma adversidade bem patente na terceira figura, também ela exposta num plano mais recuado relativamente à primeira (vide supra), por se circunscrever à figuração da parte traseira de um animal ainda não reconhecido.
[AMartins]

Bibliografia

Título

Freixo de Espada à Cinta e as suas Antiguidades, Amigos de Bragança, 3ª série, nº8, pp.49-73

Local

Bragança

Data

1967

Autor(es)

PAULO, Amílcar

Título

Mazouco (Freixo de Espada à Cinta) - Nótula arqueológica, Portugália

Local

Porto

Data

1983

Autor(es)

JORGE, Vítor de Oliveira, SANCHES, Maria de Jesus, JORGE, Susana de Oliveira, RIBEIRO, João Pedro Cunha

Título

Descoberta de gravuras rupestres em Mazouco, Freixo de Espada-à-Cinta (Portugal), Zephyrvs

Local

Salamanca

Data

1982

Autor(es)

JORGE, Vítor de Oliveira, SANCHES, Maria de Jesus, JORGE, Susana de Oliveira, ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de, SOEIRO, Maria Teresa C. M.

Título

Gravuras rupestres de Mazouco (Freixo de Espada à Cinta), Arqueologia

Local

Porto

Data

1981

Autor(es)

JORGE, Vítor de Oliveira, SANCHES, Maria de Jesus, JORGE, Susana de Oliveira, ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de, SOEIRO, Maria Teresa C. M.