Saltar para o conteúdo principal da página
Património Cultural

Palácio Nacional de Belém e todo o conjunto intramuros, nomeadamente o Palácio, os jardins e outras dependências, bem como o Jardim Botânico Tropical, ex-Jardim-Museu Agrícola Tropical - detalhe

Designação

Designação

Palácio Nacional de Belém e todo o conjunto intramuros, nomeadamente o Palácio, os jardins e outras dependências, bem como o Jardim Botânico Tropical, ex-Jardim-Museu Agrícola Tropical

Outras Designações / Pesquisas

Palácio Nacional de Belém / Museu da Presidência da República / Museu Nacional dos Coches (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt) / Jardins do Palácio Nacional de Belém (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Palácio

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Lisboa / Belém

Endereço / Local

Praça Afonso de Albuquerque
Lisboa

Rua General João de Almeida
Lisboa

Calçada da Ajuda
Lisboa

Calçada do Galvão
Lisboa

Travessa dos Ferreiros
Lisboa

Largo dos Jerónimos
Lisboa

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto n.º 19/2007, DR, 1.ª série, n.º 149, de 3-08-2007 revogou o diploma anterior e classificou o "Palácio Nacional de Belém e todo o conjunto intramuros, nomeadamente o Palácio, os jardins e outras dependências, bem como o Jardim Botânico Tropical, ex-Jardim-Museu Agrícola Tropical" como MN) (ver Decreto)
Em 24-04-2006 foi notificada a CM de Lisboa
Despacho de homologação de 10-03-2006 da Ministra da Cultura
Parecer favorável de 1-03-2006 do Conselho Consultivo do IPPAR
Proposta de 7-02-2006 da DR de Lisboa do IPPAR para a ampliação e reclassificação como MN
Despacho n.º 20/GP/05 de 15-02-2005 do presidente do IPPAR a determiniar o estudo da eventual ampliação da classificação
Decreto n.º 47 508, DG, I Série, n.º 20, de 24-01-1967 (classificou o "Palácio Nacional de Belém" como IIP) (ver Decreto)
Despacho de homologação de 18-06-1966
Parecer de 17-06-1966 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE a propor a classificação (parecer incompleto no processo)

ZEP

Abrangido pelas seguintes ZEP:
Portaria de 5-08-1967, publicada no DG, 2.ª Série, n.º 203, de 31-08-1967 (ZEP do Palácio Nacional de Belém)
Portaria de 25-02-1960, publicada no DG, II Série, n.º 63, de 16-03-1960 (ZEP do Mosteiro de Santa Maria de Belém)
Portaria de 29-06-1960, publicada no DG, II Série, n.º 163, de 14-07-1960 (ZEP da Igreja da Memória)

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O Palácio de Belém foi mandado construir em 1726, por D. João V, no local de um antigo palacete quinhentista, nos terrenos das antigas Quinta de Baixo e Quinta do Meio, daí resultando um palácio de recreio com jardim então conhecido por Casa Real de Campo de Belém ou Palácio das Leoneiras. O edifício sofreu largos danos causados pelo terramoto de 1755, e a sua restauração fica a cargo do arquitecto italiano João Pedro Ludovice, mais tarde continuadas por Mateus Vicente de Oliveira. A partir de 1807, e com a partida da Família Real para o Brasil, quando boa parte do recheio do palácio foi retirada, o imóvel passou a servir principalmente como residência ocasional, onde se recebia a corte, em bailes e solenidades. Voltou a albergar os reis durante as obras do Palácio das Necessidades, levadas a cabo em 1835 e entre 1844 e 1846, mas foi novamente abandonado como moradia permanente a partir dos anos sessenta da mesma década. Veio ainda a servir como residência do futuro rei D. Carlos, entre 1886 e 1889, quando subiu ao trono, ficando o Palácio de Belém definitivamente destinado a acolher visitantes oficiais. No início do século XX, ainda foi construído um palacete anexo, para ampliar a área das comitivas dos hóspedes.
As obras do antigo picadeiro real tiveram início em 1787, prolongando-se até 1828. Em 1905, e uma vez que o recinto já não era utilizado, a Rainha D. Amélia inaugura aí o Museu dos Coches Reais, hoje Museu Nacional dos Coches, que expõe uma colecção única de viaturas reais do século XVII a finais do século XIX. Em 1908, todo o conjunto passa para a tutela do Ministério dos Negócios Estrangeiros, passando a ser residência oficial da Presidência da República desde 1910.
Edifício de feição barroca e neoclássica, tem como referência obrigatória os belos jardins, com estátuas, alamedas de buxo, pavilhões, lagos e cascatas com ornamentação de cariz alegórico, e ainda uma sucessão de pátios (Pátio das Damas e Pátio dos Bichos, por cuja rampa se acede ao palácio). No interior, destaca-se a Sala das Bicas, com duas bicas e piso marmoreado, a Sala Dourada, a Sala Império e a Sala Luís XV; a decoração geral inclui diversa temática mitológica, com estátuas, bustos e frescos de inspiração clássica, e alguns painéis azulejares setecentistas.
O conjunto inclui ainda o edifício do Centro de Documentação e Informação, da autoria do arquitecto João Luís Carrilho da Graça, e o Museu da Presidência da República, inaugurado em 2004.
Na zona da antiga cerca do Palácio de Belém foi instalado, em 1912, o Jardim Botânico Tropical, actual designação do Jardim Museu Agrícola Tropical (em tempos Jardim do Ultramar). É um belo e amplo jardim, com cerca de sete hectares, especializado na flora tropical e subtropical, principalmente oriunda das antigas colónias portuguesas. Inclui mais de 500 espécies originárias de diversos continentes, entres as quais raros exemplares exóticos e muitas espécies em vias de extinção, ou extintas nos seus países de origem. Nos terrenos do jardim merecem ainda destaque os edifícios do Palácio dos Condes da Calheta, a Casa da Direcção, a Casa do Veado, e a Estufa Grande, em arquitectura de ferro do início do século XX, para além de estatuária diversa.
Sílvia Leite / DIDA / IGESPAR, I.P. / 10-08-07

Outras Descrições

Jardim-Museu Agrícola Tropical

Tipo

Descrição

Descrição

Este jardim, que funciona como um centro de investigação do Instituto de Investigação Científica Tropical, é um dos mais bonitos da capital. Tem uma variada vegetação e raros exemplares exóticos, tentando preservar todas as plantas que estão em vias de extinção ou que já desapareceram por completo nos seus países de origem. Com cerca de sete hectares, é principalmente constituído por árvores exóticas para promover o estudo da flora das antigas colónias portuguesas. O primeiro jardim colonial foi criado a 25 de Janeiro de 1906, no reinado de D. Carlos I, por Manuel António Moreira Júnior, tendo estado instalado inicialmente no Jardim Zoológico, nas antigas estufas do Conde de Farrobo. Criado como dependência pedagógica do Instituto Superior de Agronomia e Veterinária, tinha como função reunir material vegetal das regiões tropicais. Em 1910, o Jardim Colonial foi transferido para Belém, onde ocupa, desde 1914, as actuais instalações, começando então a denominar-se Jardim do Ultramar e depois de 1974, Jardim Tropical. Em destaque um conjunto de palmeiras plantadas pelo primeiro Presidente da República (Manuel de Arriaga); diversas estufas com bananeiras, ananaseiros, papaeiras, quineiras, a baunilha, o cafeeiro, anoneira, mandioca, diferentes orquídeas e muitas outras plantas, de distintas origens como por exemplo Macau. Estas últimas estão locallizadas predominantemente no talhão 3, dedicado à flora do Oriente.

Imagens

Bibliografia

Título

Os Mais Belos Palácios de Portugal

Local

Lisboa

Data

1992

Autor(es)

GIL, Júlio

Título

Palácios e solares portuguezes (Col. Encyclopedia pela imagem)

Local

Porto

Data

1900

Autor(es)

SEQUEIRA, Gustavo de Matos

Título

Tratado da Grandeza dos Jardins em Portugal

Local

Lisboa

Data

1987

Autor(es)

CARITA, Hélder; CARDOSO, Homem

Título

O Palácio de Belém

Local

-

Data

1985

Autor(es)

SARAIVA, José António

Título

Monumentos e Edifícios Notáveis do Distrito de Lisboa

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

ATAÍDE, M. Maia

Título

Arquitectura do Palácio de Belém

Local

Lisboa

Data

2005

Autor(es)

GASPAR, Diogo

Título

Jardins e escultura do Palácio de Belém

Local

Lisboa

Data

2005

Autor(es)

GASPAR, Diogo

Título

Vivências, sítio e iconografia do Palácio de Belém

Local

Lisboa

Data

2006

Autor(es)

GASPAR, Diogo

Título

Azulejos, estuques e tectos do Palácio de Belém

Local

Lisboa

Data

2006

Autor(es)

GASPAR, Diogo

Título

Belém (Palácio de), in Dicionário da História de Lisboa

Local

Lisboa

Data

1994

Autor(es)

SARAIVA, José António

Título

O Jardim-Museu Agrícola Tropical. Da Comissão de Cartografia (1883) ao Instituto de Investigação Científica Tropical (1983). 100 Anos de História.

Local

Lisboa

Data

1983

Autor(es)

Instituto de Investigação Científica Tropical

Título

Catálogo de plantas do Jardim-Museu Agrícola Tropical

Local

Lisboa

Data

1994

Autor(es)

Instituto de Investigação Científica Tropical