Saltar para o conteúdo principal da página

Conjunto definido por diversos arruamentos, bem como os espaços livres públicos que os mesmos ligam, em Amarante - detalhe

Designação

Designação

Conjunto definido por diversos arruamentos, bem como os espaços livres públicos que os mesmos ligam, em Amarante

Outras Designações / Pesquisas

Rua Dr. Miguel Pinto Martins e Rua Teixeira de Vasconcelos e parte nascente da Rua 5 de Outubro; Praça da República (Largo de São Gonçalo) e Alameda de Teixeira de Pascoais; Rua 31 de Janeiro (antiga Rua do Covelo) e Largo do Conselheiro António Cândido / Núcleo urbano da cidade de Amarante(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Conjunto

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Amarante / Amarante (São Gonçalo), Madalena, Cepelos e Gatão

Endereço / Local

-- -
Amarante

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 735/74, DG, I Série, n.º 297, de 21-12-1974 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Implantada junto às margens do Tâmega, a povoação de Amarante deve remontar à Idade Média, embora a tradição local indique como seus primeiros habitantes os Turdetanos, povo ibérico que se teria estabelecido nesta região cerca de 360 a. C.
Na realidade, as primeiras referências documentais ao povoado junto ao rio reportam à presença de São Gonçalo nesta região, santo que em meados do século XIII ali se terá estabelecido, numa pequena ermida. Segundo se pensa, terá sido São Gonçalo que, cerca de 1250, mandou edificar a primeira ponte que uniu as duas margens do Tâmega.
No entanto, pouco se pode reconstituir do povoado medieval, uma vez que durante as Invasões Francesas as tropas napoleónicas destruíram grande parte da cidade, nomeadamente os edifícios mais antigos. Mas este incidente não alterou o traçado urbano da povoação, mantendo-se os edifícios construídos a partir do século XVI.
A malha urbana do centro da cidade apresenta uma estrutura de traçado irregular, que conflui de ambas as margens do Tâmega. O centro urbano é fortemente marcado pelo edifício monumental do convento que os dominicanos construíram dedicado a São Gonçalo, junto à saída da ponte.
Os edifícios apresentam uma estrutura muito comum na arquitectura habitacional nortenha dos séculos XVI e XVII, de dois e três registos, com loja no piso térreo e largas janelas de peito ou de sacada nos pisos superiores.
No centro destacam-se ainda a igreja barroca de Nosso Senhor dos Aflitos, o templo de São Pedro, o Solar dos Magalhães e a Casa da Cerca, que reaproveitou parte da estrutura do antigo Convento de Santa Clara, servindo actualmente como biblioteca e arquivo local.
Catarina Oliveira
IPPAR/2006

Bibliografia

Título

Corografia Portuguesa e descripçam topographica do famoso Reyno de Portugal

Local

Lisboa

Data

1712

Autor(es)

COSTA, Pe. António Carvalho da

Título

História antiga e moderna da sempre leal e antiquíssima Vila de Amarante

Local

London

Data

1814

Autor(es)

MENESES, Francisco de Alpoim e

Título

Amarante medieval

Local

Amarante

Data

1979

Autor(es)

MACHADO, António de Sousa