Saltar para o conteúdo principal da página
Património Cultural

Fortaleza da Póvoa de Varzim - detalhe

Designação

Designação

Fortaleza da Póvoa de Varzim

Outras Designações / Pesquisas

Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição / Castelo da Póvoa (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Militar / Fortaleza

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Póvoa de Varzim / Póvoa de Varzim, Beiriz e Argivai

Endereço / Local

Rua da Caverneira
Póvoa de Varzim

Rua Tenente Veiga Leal
Póvoa de Varzim

Rua da Ribeira
Póvoa de Varzim

Largo Vasques Calafate
Póvoa de Varzim

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 43 073, DG, I Série, n.º 162, de 14-07-1960 (ver Decreto)

ZEP

Despacho de concordância de 15-12-2021 do diretor-geral da DGPC
Proposta de 22-09-2021 da SPAAA do Conselho Nacional de Cultura para a redução da ZNA incluída na ZEP, no sentido excluir a a zona do porto de pesca e a área ocupada pela Loja Interativa de Turismo entretanto construída
Proposta de 22-02-2021 da DRC do Norte
Proposta de alteração de 16-10-2019 da CM da Póvoa de Varzim
Portaria de 18-11-1981, publicada no DG, II Série, n.º 3, de 5-01-1982 (com ZNA)
Despacho de homologação de 13-11-1973
Parecer de 9-11-1973 da 4.ª Subsecção da 2.ª secção da JNE a propor a manutenção da ZNA aprovada dentro da ZEP Em 1-05-1973 a CM da Póvoa do Varzim reencaminhou as reclamações que lhe foram apresentadas, informando que as corroborava
Edital de 23-03-1973 da CM da Póvoa do Varzim
Despacho de homologação de 1-02-1973
Parecer favorável de 19-01-1973 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE
Proposta de 3-08-1972 da DGEMN

Zona "non aedificandi"

Portaria de 18-11-1981, publicada no DG, II Série, n.º 3, de 5-01-1982

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Erguida frente a uma pequena baía na Póvoa de Varzim, onde atualmente se localiza o Porto de Abrigo, a Fortaleza da Póvoa de Varzim corresponde a uma imponente estrutura de planta poligonal com quatro baluartes, o da Conceição e o de São Francisco voltados ao mar, o de São José e o de São Filipe virados para terra. No vértice de cada um deles implanta-se uma guarita poligonal, rasgada por aberturas retangulares e rematada por cúpula boleada no exterior, que assenta sobre uma mísula de secção triangular de toros facetados.
Os baluartes são interligados por cortinas muralhadas em aparelho de granito, rematadas por friso saliente e encimadas por parapeito. As cortinas que unem os baluartes da Conceição e de São Francisco formam um ângulo saliente para o mar, formando uma bateria com sessenta metros de extensão e sete metros de largura.
A entrada faz-se por um portal de grandes dimensões, com passagem abobadada, encimado pelo escudo real ladeado por volutas e coroado por uma sineira com cruz. Na praça de armas dispõe-se um conjunto de edifícios de dois registos, originalmente destinados aos aquartelamentos, que integram um pequeno templo. Esta capela apresenta fachada simples, rematada em empena com cruz e enquadrada por pilastras com pináculos. Ao centro do frontispício abre-se o portal de moldura rectangular com friso superior saliente, sobre o qual se rasga um óculo polilobado. O interior, coberto por abóbada de pedra, exibe um retábulo de talha dourada e policromada com tribuna, rematado pelo escudo e coroa real e ladeado por anjos com palmas. O trono retabular alberga uma imagem de Santa Bárbara e uma imagem do Sagrado Coração de Jesus (representado como Jesus Menino).
A Fortaleza da Póvoa de Varzim foi edificada por ordem do rei D. Pedro II, segundo um projecto da autoria do engenheiro Sebastião de Sousa. A construção da estrutura decorreu entre 1701 e 1740.
A fortificação foi construída para substituir o Forte do Torrão, uma estrutura defensiva erigida no final do século XVI a expensas da câmara municipal para defender o porto da Póvoa de Varzim, então ligado à construção naval, dos ataques de corso e pirataria.
Nas últimas décadas do século XVII o alcaide João de Almeida Rêgo informava a Corôa de que a defesa das estruturas portuárias era insuficiente e precisava ser reforçada. Assim, no ano de 1701 foi iniciada a edificação de uma nova fortaleza, de maiores dimensões e capacidade de fogo, provavelmente implantada no local da antiga fortificação. Três anos depois, as obras paravam por falta de verbas.
Em 1738 D. João V mandou concluir a fortaleza, ordenando a D. Diogo de Sousa, Governador das Armas do Minho, que retomasse os trabalhos. A estrutura ficou concluída em 1740, sendo inaugurada como Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição. Para primeiro governador foi nomeado Francisco Félix Henriques da Veiga Leal.
No ano de 1816 o espaço da fortaleza foi ocupado pela 1.ª Companhia de Reformados e Inválidos. Em 1850 o espaço havia sido abandonado pelo Exército, sendo então ocupado por habitações clandestinas de pescadores locais. Estas seriam demolidas três anos depois, e parte da fortaleza passaria a ser utilizada para espetáculos tauromáquicos. A partir de 1896 o espaço era transformado no quartel local da Guarda Fiscal, que aí se manteve até 2010 como Brigada Fiscal da Guarda Nacional Republicana.
Em 1960 a Fortaleza da Póvoa de Varzim foi classificado como imóvel de interesse público. Entre 1979 e 1985 a Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais fez várias obras de consolidação da estrutura.
Depois da Brigada Fiscal desocupar o espaço, foi elaborado um projeto de recuperação para que a fortaleza passasse a ser utilizada como unidade de hotelaria. Atualmente, o forte alberga um bar, um restaurante e um posto de turismo.
Catarina Oliveira
DGPC, 2020

Imagens

Bibliografia

Título

Póvoa de Varzim - Monografia e Materiais para a sua História

Local

Póvoa de Varzim

Data

2008

Autor(es)

LIMA, João Baptista de

Título

Vencer o Mar, Ganhar a Terra.

Local

Póvoa de Varzim

Data

2004

Autor(es)

AMORIM, Sandra Araújo de

Título

Guia de Inventário - Fortificações medievais e modernas

Local

-

Data

2015

Autor(es)

NOÉ, Paula

Título

Portugal Antigo e Moderno

Local

Lisboa

Data

1972

Autor(es)

PINHO LEAL, A. P. Soares