Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho do Prado - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho do Prado

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho do Prado (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Vila Verde / Ponte

Endereço / Local

- -
Ponte

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O antigo concelho do Prado recebeu primeiro foral de D. Afonso III, em 1260. Mais tarde, em 1510, o vizinho município de Pico de Regalados recebe foral manuelino, que abrange a Vila do Prado. O concelho foi extinto em 1855, e integrado em Vila Verde. A freguesia conserva ainda um elegante pelourinho, no lugar da Ponte.
O pelourinho, levantado no centro de uma praça ajardinada, assenta numa plataforma de dois pequenos degraus quadrados, de aresta, encimados por um plinto circular. A coluna possui um anel rebordante na base, e fuste cilíndrico e liso, rematado por astrágalo, capitel circular com decoração fitomórfica, e ábaco ou tabuleiro quadrangular, composto por molduras crescentes. O remate, sobre este tabuleiro, é constituído por um grande bloco prismático, decorado com diversa heráldica, incluíndo um escudo nacional coroado, uma esfera armilar em meio relevo, e as armas dos Sousas, senhores do Prado (Ana Cristina LEITE, 1995). Este bloco é sobrepujado por novo tabuleiro, decorado com quatro pináculos cantonais bojudos, rematados em meias esferas, e um pináculo central idêntico, mas de maior dimensão. No topo deste último crava-se uma longa haste de ferro, terminada em cruz, servindo de grimpa. O conjunto poderia ser de factura quinhentista, particularmente devido à aposição de heráldica do tipo manuelino, integrando a esfera armilar (emblema pessoal de D. Manuel).
Sílvia Leite

Imagens

Bibliografia

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde

Título

Os centros simbólicos, in História da Arte em Portugal, vol. 2, pp. 69 - 90

Local

Lisboa

Data

1995

Autor(es)

LEITE, Ana Cristina