Saltar para o conteúdo principal da página

Estação Arqueológica Romana da Herdade dos Pombais - detalhe

Designação

Designação

Estação Arqueológica Romana da Herdade dos Pombais

Outras Designações / Pesquisas

Monte da Herdade dos Pombais / Estação Arqueológica Romana da Herdade dos Pombais(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Estação Arqueológica

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Portalegre / Marvão / Beirã

Endereço / Local

-- na Herdade dos Pombais
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 26-A/92, DR, I Série-B, n.º 126, de 1-06-1992 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O território correspondente ao actual município de Marvão possui inúmeros testemunhos de ocupação humana, presente na região desde a Pré-história, nomeadamente em termos de expressão megalítica, amplamente estudada ainda no século XIX, por essa figura incontornável dos primórdios do exercício arqueológico entre nós que foi a do geólogo da emblemática Commissão dos Serviços Geológicos, o lente de Mineralogia e Geologia da Escola Politécnica Costa (1809-1889) (Cf. COSTA, F. A. P. da, 1868), ainda que remontem a setecentos as primeiras referências conhecidas até ao momento a monumentos antigos na zona e, em especial, a monumentos megalíticos.
A abundância de testemunhos megalíticos na zona, designadamente de dolmens e menires, resultava, no fundo, da existência de excelentes recursos naturais que permitiam a permanência, no seu território, de diferentes comunidades humanas ao longo de séculos e milénios. Não surpreenderá, por conseguinte, que a maioria dos exemplares desta tipologia arqueológica se encontre maioritariamente implantada ao longo de linhas de água, especialmente do rio Sever, assim como nas proximidades de terrenos pontuados de afloramentos graníticos (COELHO, P. M. L., 1988, pp. 39-45).
Mas, se abundam as tipologias megalíticas, nomeadamente as funerárias - dolmens (ou "antas", como serão localmente mais conhecidos) -, a época romana trouxe à região uma outra notabilidade, certamente decorrente dos recursos cinegéticos existentes, nomeadamente no que a terrenos agricultáveis dizia respeito, razões mais do que suficientes para que se erguessem, tanto no termo de Marvão, como nos actuais concelhos limítrofes, algumas das uillas mais significativas em termos de informação arqueológica. Para além disso, Ammaia constituía uma das civitates existentes no actual Alentejo, englobando S. Salvador de Aramenha e, precisamente, Marvão (ALARCÃO, J. M. N. L. de, 1990, p. 364).
Integrava, por consequência, uma das traves mestras da afirmação do Império romano, que contemplava a implementação de uma política administrativa assente em dois vectores vitais para a sua perduração no tempo: na definição de unidades político-administrativas e no traçado de vias que assegurassem uma ligação permanente e célere entre os principais centros
Não surpreenderá, por tudo isto, que fossem descobertos, já nos inícios dos anos oitenta do século XX, vestígios de uma uilla rustica ("Estação Arqueológica romana da Herdade dos Pombais") justamente nas proximidades do rio Sever e de terrenos propícios à actividade agrícola, utilizada, ao que indica a análise dos artefactos identificados no sítio, entre os séculos I e V d. C..
Dos vestígios identificados na estação arqueológica, sobressaem os correspondentes a uma zona de banhos (termal), localizada nas proximidades de uma necrópole composta de onze sepulcros construídos com lajes, tanto mais que "As villae tinham também, obrigatoriamente, as suas necrópoles." (Id., Idem, p. 488).
Quanto ao espólio recolhido, em resultado da escavação dos sepulcros, dele constam, entre outros materiais, fragmentos de bracelete, anel e brincos em bronze, a par de numismas no mesmo material, assim como contas vítreas e dois exemplares cerâmicos (FERNANDES, I. C. F., 1987, pp. 101-116), especialmente de terra sigillata (de paredes finas) itálica e hispânica (Id., 1983, p. 52), revelando uma população com alguns recursos (Id., 1987, p. 107).
[AMartins]

Imagens

Bibliografia

Título

O Reordenamento Territorial, Nova História de Portugal: Portugal das origens à romanização

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

ALARCÃO, Jorge Manuel N. L.

Título

Portugal Romano

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

ALARCÃO, Jorge Manuel N. L.

Título

Roman Portugal

Local

Warminster

Data

1988

Autor(es)

ALARCÃO, Jorge Manuel N. L.

Título

Terras de Odiana. Medobriga, Ammaia, Aramenha, Marvão, 2.ª ed.

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

COELHO, Possidónio Mateus Laranjo

Título

Noções sobre o estado préhistórico da terra e do homem seguidas da descripção de alguns dolmins ou antas de Portugal

Local

Lisboa

Data

1868

Autor(es)

COSTA, Francisco A. Pereira da

Título

Escavações no concelho de Marvão, Al-madan

Local

Almada

Data

1983

Autor(es)

FERNANDES, Isabel Cristina Ferreira

Título

Espólio da Necrópole dos Pombais (I), Actas das 1ªs Jornadas de Arqueologia do Nordeste Alentejano

Local

Coimbra

Data

1987

Autor(es)

FERNANDES, Isabel Cristina Ferreira