Saltar para o conteúdo principal da página

Capela de Nossa Senhora da Conceição - detalhe

Designação

Designação

Capela de Nossa Senhora da Conceição

Outras Designações / Pesquisas

Capela de Nossa Senhora da Conceição(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Capela

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Faro / Loulé / Loulé (São Clemente)

Endereço / Local

Rua Paio Peres Correia
Loulé

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 39 175, DG, I Série, n.º 77, de 17-04-1953 (ver Decreto)

ZEP

Portaria n.º 425/85, DR, I Série, n.º 152, de 5-07-1985 (sem restrições) (ZEP dos restos do castelo, da Igreja matriz, da Capela de Nossa Senhora da Conceição, do portal e cruzeiro da Misericórdia e dos restos da Igreja da Graça) (ver Portaria)

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Após a Revolução de 1640, e por ordem de D. João IV, as Cortes de Portugal consagraram Nossa Senhora da Conceição como padroeira do reino, situação que está na origem da construção desta pequena ermida de Loulé, erguida junto a uma das antigas portas medievais da vila. Com efeito, é à década de 50 do século XVII que se tem vindo a atribuir o início da construção do templo, como o prova a feição estilística chã e relativamente modesta da sua fachada principal. Os dois primeiros andares da frontaria revelam o figurino austero e sóbrio do Maneirismo, sobressaindo as molduras horizontais do portal e da janela como únicos elementos modeladores do alçado. Esteticamente, o emprego de cantaria na fachada principal reforça essa sobriedade deliberada, ao mesmo tempo que confere à capela um lugar ímpar na arquitectura religiosa algarvia da época moderna, que optou, na esmagadora maioria dos casos, por revestimentos exteriores.
Se a fachada denuncia o tempo maneirista da sua fábrica, o interior oferece-nos um dos mais notáveis exemplos de arte total barroca. Ao que tudo indica, a uma primeira e coerente campanha de obras, contemporânea da construção da capela, seguiu-se uma reforma integral do espaço interior, a expensas da Confraria de Nossa Senhora da Conceição das Portas da Vila, facto que explica a enorme diferença de tempos estéticos entre a fachada e o interior.
Em termos planimétricos, a inexistência de capela-mor e a configuração em nave única terá certamente favorecido a homogeneidade espacial do templo, que foi, então, sujeito a intervenção que se pode considerar das mais "espectaculares manifestações artísticas do barroco no Algarve" (CARRUSCA, 2001, p.110). Aqui vamos encontrar nomes cimeiros do Barroco algarvio, como Miguel Nobre (entalhador farense responsável pelo retábulo-mor (LAMEIRA, 2000, p.398) e provável mestre das imagens devocionais que decoram o interior), ou Diogo de Sousa e Sarre (pintor e dourador estabelecido em Loulé, e responsável pela confraria entre 1743 e 1747, a quem se atribui a pintura do retábulo e as imagens).
Mas a grande obra desta campanha foi, seguramente, o revestimento com painéis de azulejos (trinta, no total), de temática mariana. Produto do tempo joanino e do ciclo dos Grandes Mestres lisboetas (cujas oficinas praticamente monopolizaram a encomenda de azulejaria religiosa na primeira metade do século XVIII), a campanha da Conceição de Loulé recorda, evidentemente, a que, anos antes, havia sido realizada na igreja de São Lourenço de Almancil (SIMÕES, 1949). "O percurso narrativo tem início no lado da Epístola com representações do Nascimento da Virgem, da Apresentação da Virgem e do Casamento de Nossa Senhora, sobre a porta a Assunção, e no lado do Evangelho está o Nascimento de Jesus com a Adoração dos Pastores, a Circuncisão e entre o púlpito e o retábulo a Adoração dos Magos (CARRUSCA, 2001, p.212).
O programa decorativo barroco da capela ficou concluído alguns anos mais tarde, com a realização da pintura do tecto da nave, em perspectiva, dedicado à Assunção de Nossa Senhora e realizado, com certeza, na segunda metade do século XVIII, altura em que se terá igualmente feito o coroamento da fachada principal, em frontão irregular de tendência cenográfica.
PAF

Imagens

Bibliografia

Título

A talha no Algarve durante o Antigo Regime

Local

Faro

Data

2000

Autor(es)

LAMEIRA, Francisco

Título

Azulejaria em Portugal no século XVIII

Local

Lisboa

Data

1979

Autor(es)

SIMÕES, J. M. dos Santos

Título

Loulé. História e expansão urbana

Local

Loulé

Data

1996

Autor(es)

SERRA, Pedro

Título

Os notáveis azulejos da igreja de São Lourenço de Almancil e da Capela de Nossa Senhora da Conceição em Loulé, Correio do Sul

Local

Faro

Data

1949

Autor(es)

SIMÕES, J. M. dos Santos

Título

Monografia do Concelho de Loulé

Local

Porto

Data

1905

Autor(es)

OLIVEIRA, Francisco Xavier d'Ataíde

Título

Loulé. O património artístico

Local

Loulé

Data

2001

Autor(es)

CARRUSCA, Susana