Saltar para o conteúdo principal da página

Convento de São Paulo, sito na serra de Ossa, incluindo azulejos setecentistas que revestem o seu interior, o retábulo fingido da capela-mor, os 2 fontanários em mármore, uma fonte decorativa e os jardins circundantes - detalhe

Designação

Designação

Convento de São Paulo, sito na serra de Ossa, incluindo azulejos setecentistas que revestem o seu interior, o retábulo fingido da capela-mor, os 2 fontanários em mármore, uma fonte decorativa e os jardins circundantes

Outras Designações / Pesquisas

Convento de São Paulo da Serra de Ossa
Convento da Serra de Ossa / Convento de São Paulo / Convento de São Paulo da Serra de Ossa / Convento de Serra d' Ossa (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt) / Cerca e Jardins do Convento de São Paulo / Cerca do Convento da Serra d'Ossa / Herdade do Convento de São Paulo (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Convento

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Évora / Redondo / Redondo

Endereço / Local

Estrada Municipal 381, Redondo - Estremoz
Serra d'Ossa

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 28/82, DR, I Série, n.º 47, de 26-02-1982 (ver Decreto)
Despacho de homologação de 24-05-1977 do Secretário de Estado da Investigação Científica
Parecer de 29-04-1977 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE a propor a classificação como IIP
Proposta de classificação de 23-01-1976 do proprietário

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A sua fundação encontra-se envolta em diferentes lendas ou tradições, que fazem recuar a origem deste convento até ao século IV (COSTA, 1712, pp. 446-460; DAMÁSIO, 1793). De acordo com estes testemunhos, poderíamos contar quatro fundações conventuais, a última das quais é a que hoje conhecemos. Se as primeiras duas não podem ser comprovadas, sabe-se que no último quartel do século XIV foram muitos os privilégios reais e papais concedidos a esta comunidade. Assim, na primeira metade do século XV estava a ser construída a terceira igreja, sobre as ruínas das anteriores. Contudo, a Congregação dos Monges de Jesus Cristo da Pobre Vida apenas foi aprovada pelo Papa Gregório XIII, por uma Bula de 1578, data a partir da qual se renovou o complexo conventual, dando origem ao actual edifício, pois as obras do século XVIII vieram introduzir, maioritariamente, alterações ao nível decorativo. A comparação entre fontes iconográficas do século XVI e do século XVIII permite concluir que não houve modificações volumétricas significativas (ARRUDA, COELHO, 2004, pp. 25-26).
O mais recente estudo sobre o convento de São Paulo da Serra d'Ossa, da autoria de Luísa Arruda e Teresa Campos Coelho, que temos vindo a seguir, permite traçar uma cronologia de intervenções relativamente rigorosa, funcionando como uma espécie de roteiro de visita. Infelizmente, a dimensão do convento e o valor do seu património integrado não nos permite mais do que uma abordagem introdutória.
Da campanha de obras que decorreu a partir de 1578, chegaram até nós a casa do lavabo (De Profundis), o refeitório, o piso térreo da ala sul do claustro, e a sala das Eleições dos Padres Gerais. Não é conhecido o autor deste traçado, embora a existência de documentação que revela o envio, por parte de D. Teodósio II, de mestres do seu serviço para a Serra d'Ossa, permita equacionar a hipótese deste risco se dever a Nicolau de Frias ou, já numa segunda fase e em substituição do primeiro, a Pedro Vaz Pereira (IDEM; p. 23).
Entre o final do século XVII e o início do XVIII, a intervenção nas diferentes áreas do convento foi faseada, prolongando-se até à década de 1760. Por fim, a última campanha data da segunda metade de Setecentos, coincidindo com a estada dos denominados Meninos de Palhavã (IDEM, p. 25). Incidiu, entre outros espaços, sobre o dormitório da carreira, a portaria nova, ou o jardim das quatro estações.
De linhas sóbrias, numa arquitectura depurada e chã, o convento actualizou-se, no século XVIII, através da aquisição de um vasto conjunto de azulejos que reveste boa parte dos seus interiores e também exteriores (Jardim das 4 estações e Varandas Formosas). Encomendados a artistas lisboetas, é possível identificar algumas das mãos que aqui trabalharam. Tal é o caso do Mestre P.M.P., porventura o mais operoso neste contexto; António de Oliveira Bernardes, que assina o conjunto alusivo ao Cântico dos Cânticos, na capela do Bispo, onde se encontra ainda um tecto com pinturas de brutesco nacional; ou Gabriel del Barco, a quem são atribuídos os azulejos da capela de Nossa Senhora da Conceição.
Na igreja, sagrada em 1798, subsistem fragmentos de azulejos enxaquetados que teriam revestido o templo anterior, e a nave única é coberta por painéis com cenas da vida de Santo António de Pádua, do denominado Mestre P.M.P. As pinturas murais da capela-mor e o brutesco da nave são da mesma época. A talha desapareceu.
Com a extinção em 1834, o imóvel foi vendido em hasta pública, e adquirido em 1870 pela família que ainda hoje é sua proprietária. Entre 1991 e 1993 foi objecto de uma intervenção com vista a transformar-se em unidade hoteleira, pertença desde 2000 da Fundação Henrique Leotte.
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

Inventário Artístico de Portugal - vol. IX (Distrito de Évora, Zona Sul, volume I)

Local

Lisboa

Data

1978

Autor(es)

ESPANCA, Túlio

Título

«Convento de São Paulo da Serra D'Ossa», A Cidade de Évora, nº 55, pp. 149-171

Local

Évora

Data

1973

Autor(es)

ESPANCA, Túlio

Título

Corografia Portuguesa e descripçam topographica do famoso Reyno de Portugal

Local

Lisboa

Data

1712

Autor(es)

COSTA, Pe. António Carvalho da

Título

Azulejaria em Portugal no século XVIII

Local

Lisboa

Data

1979

Autor(es)

SIMÕES, J. M. dos Santos

Título

Tratado da Grandeza dos Jardins em Portugal

Local

Lisboa

Data

1987

Autor(es)

CARITA, Hélder; CARDOSO, Homem

Título

O Mosteiro da Serra de Ossa, in O Arqueólogo Português, vol. XXI, pp. 239-44

Local

Lisboa

Data

-

Autor(es)

-

Título

Convento de S. Paulo de Serra de Ossa

Local

Lisboa

Data

2004

Autor(es)

ARRUDA, Luísa, COELHO, Teresa Campos

Título

Constituições dos Eremitas de S. Paulo da Serra d'Ossa

Local

Lisboa

Data

1707

Autor(es)

SÂO BOAVENTURA, Frei Carlos de

Título

Chronica dos Eremitas da Serra d'Ossa

Local

-

Data

1745

Autor(es)

SANTO ANTÓNIO, Frei Henrique de

Título

Azulejaria barroca portuguesa: figuras de convite

Local

Lisboa

Data

1995

Autor(es)

ARRUDA, Luísa

Título

Azulejos de Policarpo de Oliveira Bernardes em S. Paulo de Serra d'Osa, Azulejo, n.º 1

Local

Lisboa

Data

1991

Autor(es)

MECO, José