Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Castelo - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Castelo

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Ferreira das Aves / Pelourinho do Castelo(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viseu / Sátão / Ferreira de Aves

Endereço / Local

-- diante da antiga Casa da Câmara
Castelo

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A localidade de Castelo corresponde à antiga sede de concelho de Ferreira de Aves, que recebeu primeiro foral das mãos de D. Teresa e D. Afonso Henriques, em 1126, ainda antes da nacionalidade. Teve foral novo dado por D. Manuel, em 1514. O concelho foi extinto no século XIX, e integrado em Sátão, do qual Ferreira das Aves é actual freguesia. O lugar do Castelo conserva como testemunho do seu passado estatuto um pelourinho de factura quinhentista, erguido defronte do edifício onde se supôe ter funcionado a antiga Casa da Câmara, tribunal e cadeia comarcã. Na sua fachada destaca-se uma lápide epigrafada, onde se podem ver duas aves afrontadas, unidas pelos bicos, em alusão ao nome do velho concelho, acompanhadas de uma legenda votiva, celebrando a construção do edifício no ano de 1595. Alguns autores consideram que o pelourinho datará da mesma empreitada, embora a sua tipologia, e particularmente o discurso heráldico que apresenta, façam-nos preferir avaliá-lo como obra manuelina.
O pelourinho ergue-se sobre soco de quatro degraus quadrangulares, de aresta, muito desgastados, prolongados por um quarto degrau mais alto, com arestas chanfradas, servindo de plinto da coluna. Esta tem fuste octogonal, de faces lisas, com saliências verticais em quatro faces alternadas da base, ao modo de garras. É encimado por estreito astrágalo, seguido de um grosso cordão torso, onde assenta o remate. O remate consta de um bloco quadrangular com a metade inferior aredondada, e faces cobertas com diversos motivos, em cujos cantos se erguem altos pináculos decorados com séries de pequenos cogulhos, rodeando um outro, central. As faces do bloco de remate são decoradas com pequenas aves, em posições diversas, um escudo nacional, e o que parece ser uma esfera armilar, símbolo pessoal de D. Manuel. SML

Imagens

Bibliografia

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde