Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Tabuaço - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Tabuaço

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Tabuaço (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viseu / Tabuaço / Tabuaço

Endereço / Local

Praceta dos Pelourinhos (Jardim Conde Ferreira)
Tabuaço

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Embora não se conheça foral atribuído à povoação de Tabuaço, integrada no muito antigo Couto de Leomil, esta teve estatuto de concelho provavelmente desde o século XV. O mesmo terá acontecido com outras dez pequenas localidades vizinhas, que em 1855 e 1895 foram constituídas como freguesias do actual Concelho de Tabuaço. A primeira referência ao concelho medieval data já de 1527, considerando-se habitualmente que o pelourinho classificado foi erguido em data próxima, de acordo com a sua tipologia. Em 1916, este estava implantado no antigo Largo da Fonte, junto ao lavadouro público (Luís de FREITAS, 1916, p. 16), existindo ainda fotos da época que o comprovam, mostrando o fuste erguido sobre um tosco paralelepípedo onde assentava a base, não se vendo vestígios do soco. Alguns anos mais tarde, em 1934, o presidente da Comissão Administrativa de Tabuaço refere que este se encontra desmontado, estando então parte dele no largo do mercado. As peças que se encontravam junto ao lavadouro no início do século haviam-se perdido por estes anos, quando o Largo da Fonte foi remodelado, e o fragmento que esteve no largo do mercado acabou por ficar nas mãos de um particular. Porém, a Câmara possuía fotografias do monumento que permitiram a sua reconstrução, feita em 2001, e na qual não foi possível integrar a peça original.
Através de fotografia, sabemos que o pelourinho quinhentista assentava num soco de três degraus quadrangulares, sendo composto por base, coluna e capitel / remate. A base constava de um plinto encimado por uma peça paralelepipédica com barriga no terço inferior. A coluna era relativamente curta, lisa e oitavada, com um lavrado saliente, seja carranca, garra ou motivo vegetalista, em quatro faces alternadas, na base do fuste. O capitel era formado por um prisma oitavado pouco mais largo que o fuste, enquadrado por duas molduras oitavadas. Aparentemente, era coroado por uma pirâmide muito curta. Numa das faces do capitel via-se um diminuto escudo de Portugal.
A reconstrução, que não se encontra classificada, segue com considerável rigor a tipologia do monumento original, embora não inclua o pormenor dos lavores da base. Ergue-se num recanto do jardim fronteiro ao edifício dos Paços do Concelho de Tabuaço, conhecido como Praceta dos Pelourinhos, assim chamada por estar a reconstituição rodeada de painéis de azulejo com figurações de outros pelourinhos do concelho. SML

Bibliografia

Título

Taboaço : notas & lendas

Local

Vila Nova de Famalicão

Data

1916

Autor(es)

FREITAS, Luís de